18 3622 - 0011
Agende o seu Exame
Floriano Peixoto, 817 Araçatuba/SP
Exame
Análises Clínicas
Responsabilidade social



Voce também fáz parte désta história!





O Laboratório Exame é amigo do Instituto Pró-Criança





O Laboratório Exame integra o projeto Nutrir em parceria com a Nestlé


Antitrombina - Avaliação das trombofilias hereditárias

18/05/2016

 

   A antitrombina (AT), uma glicoproteína de síntese hepática não depende de vitamina K, é o principal inibidor da trombina no organismo, exercendo também atividade inibitória sobre  os fatores ativados Xa, IXa , XIa e fator tecidual ligado ao VIIa. AAT apresenta duas duas importantes regiões funcionais: o chamado centro reativo (Arg 393- Ser 394) e o sítio de ligação à heparina (localizado na porção aminoterminal da molécula).

   Na ausência de heparina, a AT inativa a trombina lentamente. A ligação na presença de heparina é referida como atividade do cofator heparina da antetrombina.

                          

 
   As deficiências de AT podem ser: hereditárias e adquiridas. existem dois tipos principalmente de deficiência hereditária de AT:

   O tipo II: caracterizado por uma produção normal ou ligeiramente diminuída de AT com atividade  significativamente reduzia. O tipo II é subclassificado de  acordo com a localização  molecular do defeito.

   As deficiências adquiridas de AT envolvem diversas situações fisiopatológicas que diminuem a concentração de AT no sangue: 

   Consumo acelerado: coagulação intravascular disseminada, por exemplo.

   Redução da síntese: cirrose hepática.

   Aumento da excreção: síndrome nefrótica.

   Drogas: pacientes em uso de contraceptivos orais ou em uso de estrogênio para outros proprósitos; pacientes em uso de heparina.

   A decisão pela investigação da deficiência hereditária de AT e das outras causas hereditárias de trombofilia deve ser  avaliada com base nas respostas às seguintes perguntas: 

 

Quem deve ser testado ?

   As evidências disponíveis na literatura não recomendam o ''rastreamento da população geral'', mesmo daqueles indivíduos expostos a risco aumentado de trombose, como mulheres em uso de contraceptivos orais e grávidas. Devem ser investigados:

  • Pacientes com histórico de trombose recorrente
  • Trombose antes dos 50 anos 
  • Trombose inexplicada em qualquer idade
  • Trombose em lacais não usuais
  • Trombose em pacientes  com histórias primárias de deficiência de antitronbina

 

Quando investigar?

   A investigação laboratorial  deve ter o seu inicío distante do evento agudo trombótico )pelo menos 6 meses) e algumas semanas após e descontinuidade do uso de anticoagulantes  orais (6 a 8 semanas). Paciente em uso de heparina podem apresentar níveis de atividade de AT reduzidos em até 30%. Há relato na literatura de que o uso de anticoagulantes orais  eventualmente eleva  as  concentrações plasmáticas de AT para valores normais em pacientes portadores de deficiência hereditária de AT.

 

Quais testes utilizar?

   Apenas os ensaios funcionais, baseados na atividade do cofator heparina, poderão detectar as deficiências de AT do tipo I e II. Esses ensaios funcionais podem utilizar a trombina ou o fator Xa como enzimas-alvo. Os ensaios que utilizam o fator Xa como enzima-alvo devem ser preferidos por discriminarem melhor os portadores dos não partadores da deficiência e não sofrerem a influênciia da presença do cofator II da heparina (que pode superestimar a atividade de AT em até 30%). O cofator II da heparina inibe a trombina, mas não tem atividade contra outros fatores da coagulação ou na fibrinólise.

   Seguindo as recomendações internacionais para a avaliação da deficiência de antirombina, oferece aos seus clientes o ensaio funcional baseado na atividade do cofator heparina, utilizando como enzima-alvo o fator Xa.

   O diagnóstico definitivo de deficiência hereditária de AT pode ser dificultada devido aos inúmeros distúrbios clínicos associados às deficiências adquiridas de AT. Assim, enquanto os achados de níveis de AT dentro dos intervalos de referência são geralmente suficientes para excluir a deficiência  de AT, níveis diminuídos devem ser confirmados em outra amostra, em outra ocasião. A confirmado da natureza hereditária da deficiência de AT requer a investigação de outros membros da família. O diagnóstico de outros membros da família afetados permite o aconselhamento sobre a necessidade de instalação de medidas profiláticas contra eventos trombóticos.

Resultado Online
Acesse os resultados do seu Exame direto da sua casa
Serviços

Estrutura


Quem somos | Estrutura e Tecnologia | Serviços | Atualidades Científicas | Responsabilidade Social | Contato


Exame
2011 © Todos os direitos reservados | Exame Centro de Diagnóstico Médico de Araçatuba S/C Ltda.

Rua Floriano Peixoto, 817 - Vila Mendonça Cep: 16015-000 - Araçatuba - SP Tel.: +55 18 3622-0011