BLOG







6 hormônios que podem atrapalhar seu emagrecimento

Está com dificuldade de perder peso? Atenção, podem ser os hormônios. Muitos não sabem, mas não são apenas a alimentação saudável e a prática de atividades físicas que influenciam no processo de emagrecimento, os hormônios também exercem um papel importante nessa missão. Por isso preparamos essa lista com 6 hormônios que podem atrapalhar seu emagrecimento. Continue a leitura e confira. 

Como os hormônios atrapalham a perda de peso? 

Os hormônios são responsáveis por regular o nosso metabolismo, que por sua vez exerce papel fundamental na perda de peso. A partir do momento em que os hormônios estão desregulados, o metabolismo passa a não funcionar adequadamente, o que dificulta a queima de calorias e ainda aumenta a pré-disposição ao armazenamento de gordura. 

São os hormônios que regulam a velocidade do nosso metabolismo e é por isso que ao estarem desregulados, dificultam o processo de emagrecimento. Normalmente esse processo é causado pela disfunção hormonal.

O que é disfunção hormonal?

Como o próprio nome sugere, a disfunção hormonal nada mais é do que um problema em que existe um aumento ou diminuição irregular na produção de hormônios relacionados ao metabolismo. 

São diversos os fatores que podem causar esse tipo de distúrbio. Inclusive, os problemas hormonais são muito comuns e podem causar sintomas como:

  • Fome em excesso 
  • Irritabilidade
  • Cansaço em excesso 
  • Insônia 

A disfunção hormonal, além de prejudicar o emagrecimento ainda pode causar doenças graves como a diabetes e hipotireoidismo, por exemplo. Por isso ao ser identificada, a disfunção deve ser tratada corretamente. 

Quais são os hormônios que podem atrapalhar o emagrecimento?

Contamos com muitos hormônios em nosso organismo, mas alguns em específico estão mais ligados ao metabolismo e esses podem atrapalhar o emagrecimento. Confira nossa lista com os 6 principais:

1 – Cortisol

Também conhecido como “hormônio do estresse”, o Cortisol é produzido pelas glândulas suprarrenais e atuam controlando o estresse em nosso organismo. Ele converte gordura em glicose através do fígado, proporcionando assim mais energia. 

Esse hormônio está presente em diversas atividades do organismo durante o dia, como na regulagem da pressão sanguínea, formação de novas memórias, além de auxiliar na digestão, controlando a maneira com que o corpo utiliza todas as proteínas, carboidratos e gorduras obtidas através da alimentação.  

Quando produzido em alta quantidade pode despertar o apetite e ainda estimular o fígado a produzir glicose em excesso, para que o corpo obtenha energia suficiente para lidar com as atividades diárias. Em excesso pode ainda aumentar os níveis de insulina e isso faz com que a vontade de comer seja direcionada a doces e alimentos gordurosos. 

Além de se alimentar mais por causa dessa liberação em excesso, como as substâncias produzidas pelo cortisol não são utilizadas pelo corpo, acabam sendo acumuladas e então armazenadas como gordura. 

2 - Hormônios da Tireoide (T3 e T4) 

Os hormônios T3 e T4 são produzidos pela glândula Tireoide, localizada no pescoço, por isso também são conhecidos por hormônios da Tireoide. Eles estão diretamente ligados com o metabolismo e auxiliam na regulagem de todo o organismo, como nos batimentos cardíacos, raciocínio, temperatura corporal e até mesmo na fertilidade. 

Quando a glândula tem baixo nível de produção dos hormônios, acontece o hipotireoidismo, e isso faz com que o metabolismo desacelere, dessa forma diminui-se o gasto calórico em repouso, o que dificulta a perda de peso. O contrário também pode acontecer, quando a glândula produz em excesso acontece o hipertireoidismo, fazendo com que a pessoa tenha dificuldade para ganhar peso. 

3 – Grelina 

Esse é bastante conhecido por ser o hormônio do apetite, pois é produzido principalmente pelo estômago e pâncreas. Ele é responsável por informar o cérebro que é hora de comer, além de auxiliar também no controle energético do corpo, equilibrando a ingestão e o gasto calórico. 

Quanto mais altos os níveis de Grelina no organismo, mais faminto o indivíduo fica, logo assim que come os níveis se estabilizam reduzindo assim o apetite. Contudo em dietas bastante restritivas ou em um caso de disfunção hormonal, seu nível aumenta de forma intensa, despertando assim maior apetite, fazendo com que a pessoa coma mais do que precisa, dificultando assim a perda de peso. 

4 – GH 

Conhecido também como hormônio do crescimento, o GH é responsável por auxiliar no crescimento longitudinal, assim como o linear e o das células e músculos. Além disso, ele estimula a transformação da gordura corporal em energia através da metabolização.

Quando desregulado, pode não cumprir sua função corretamente, fazendo assim com que a gordura do organismo não seja transformada em energia, além de causar ainda problemas graves, como doenças cardiovasculares, por exemplo. 

5 – Leptina

Esse é conhecido também como hormônio da saciedade, pois uma de suas principais funções é indicar quando o corpo já está saciado, através do nível de gordura armazenada, evitando assim que a pessoa coma mais do que deve. 

Em pessoas acima do peso a Leptina é encontrada em níveis mais altos, devido a quantidade de gordura armazenada no organismo, contudo estas acabam tendo certa resistência ao efeito do hormônio, o que as fazem não se sentirem tão saciadas após as refeições, quando deveria. 

Pessoas com disfunção hormonal podem sentir o mesmo efeito, uma vez que se a Leptina for produzida em excesso pelo corpo, a sensação de saciedade será menor, fazendo assim com que a pessoa coma mais do que necessário. 

6 – Insulina 

A insulina é o hormônio responsável por controlar o nível de glicose (açúcar) no sangue e levá-la para as células. 

Quando encontrada em níveis desregulados no organismo, pode ocasionar a predisposição ao diabetes e ainda aumentar os estoques de gorduras no organismo, principalmente em regiões próximas à barriga e cintura, causando assim dificuldade na perda de peso. 

Como saber se eu tenho disfunção hormonal?

Problemas hormonais podem ser identificados no organismo através da realização de um exame de sangue. É através da medição dos níveis hormonais presente na circulação sanguínea, que se descobre alterações nas dosagens hormonais presentes no corpo. 

Onde fazer o exame de dosagem hormonal em Araçatuba?

Dúvidas quanto aos seus hormônios? Acha que algo está acontecendo? Seu médico solicitou um exame de sangue para que seja feita a dosagem hormonal? Se você mora em Araçatuba, nós podemos ajudar! Somos um laboratório reconhecido em toda região pela qualidade oferecida em nossos serviços e claro, contamos com uma equipe de biomédicos especializados para garantirem os melhores e mais precisos resultados. 

Agende seu exame clicando aqui, ou acesse nossas redes sociais clicando aqui (Facebook) ou aqui (Instagram)



Novembro Azul – Tudo o que você precisa saber sobre o Câncer de Próstata

Novembro Azul é uma campanha criada com o intuito de conscientizar sobre doenças masculinas, tendo como ênfase o Câncer de Próstata. Esse é o segundo tipo mais comum de câncer entre a população masculina brasileira, ficando atrás apenas do câncer de pele.

Contudo, muitos homens ainda não sabem ao certo o que é e nem como essa doença age no organismo, por isso no artigo de hoje falaremos mais sobre o câncer de próstata, seus sintomas, causas, diagnóstico e tratamento, ou seja, tudo o que você precisa saber sobre essa doença para se cuidar.

O que é Câncer de Próstata?

A próstata é uma pequena glândula muito importante, que é parte integrante do sistema reprodutor masculino. Sua função é produzir o fluído que protege e nutre os espermatozoides no sêmen, tornando-o mais líquido. Fica localizada na parte baixa do abdômen, próxima à bexiga, ao reto e à uretra. 

O câncer de próstata se desenvolve a partir de uma multiplicação desordenada das células da próstata. A glândula endurece e surge um tumor. Essas células anômalas conseguem invadir os tecidos do organismo e se disseminar por diversos outros órgãos, o que complica e aumenta a gravidade da doença.

Quais são as causas do câncer de próstata?

É difícil concluir qual motivo específico leva as células da próstata se reproduzirem de forma anormal, o que dá origem ao tumor. Contudo, existem os fatores de risco, que são algumas condições e comportamentos que podem facilitar o desenvolvimento da doença. 

Os principais são:

  • Idade acima de 50 anos;
  • Histórico familiar de parentes de primeiro grau, que já tiveram câncer de próstata;
  • Sedentarismo e obesidade;
  • Maus hábitos alimentares;
  • Altas taxas de estrogênio;
  • Nível de poluição ambiental.

Quais são os sintomas do câncer de próstata?

O câncer de próstata é uma doença traiçoeira, pois é assintomática, ou seja, em sua fase inicial não manifesta sintomas graves ou alarmantes, o que ajuda a se desenvolver e avançar. Por isso é extremamente importante a realização de exames preventivos constantes, dessa forma qualquer alteração pode ser identificada precocemente.

Contudo, quando o caso se agrava e o câncer de próstata atinge uma fase avançada, são apresentados sintomas como:

  • Dificuldade para urinar;
  • Interrupção do fluxo de urina ou até obstrução completa da uretra;
  • Aumento da necessidade de urinar e da sensação de bexiga cheia, mesmo após urinar;
  • Dificuldade para manter ereções;
  • Dor ao ejacular;
  • Sangue no sêmen;
  • Dores ósseas;
  • Infecção generalizada;
  • Insuficiência renal.

Claro, os sintomas variam de paciente para paciente e de quadro para quadro, por isso, ao sentir e/ou notar qualquer um desses sintomas procure o quanto antes um médico para avaliação.

Como é feito o diagnóstico do câncer de próstata?

Normalmente em homens acima dos 50 anos de idade é realizado o exame de toque retal e dosagem de PSA, que é feito por meio de um exame de sangue. Ambos os exames são essenciais para a identificação da doença, pois um pode ser complementar ao outro.

Pacientes que possuem altos fatores de risco, como o histórico de parentes com a doença, devem realizar o primeiro exame aos 40 anos de idade. Dependendo da situação do paciente é recomendado realizar os exames anualmente ou até semestralmente.

Qual é o tratamento para o câncer de próstata? 

Quando o diagnóstico do câncer de próstata é feito precocemente, o tratamento é extremamente eficaz, garantindo 90% de chances de cura. O tipo de tratamento escolhido varia de acordo com a situação do paciente e grau de evolução da doença em seu organismo. 

Os tratamentos mais utilizados são:

  • Remoção cirúrgica do tumor - utilizada nos casos em que o tumor está localizado;
  • Radioterapia ou quimioterapia – utilizada em casos nos quais o tumor entrou em metástase ou como complemento da cirúrgica de remoção;
  • Terapia hormonal - controla os hormônios que estimulam a evolução do câncer.

Como prevenir o câncer de próstata?

Infelizmente não existe um método 100% preventivo contra o Câncer de Próstata, contudo a realização constante dos exames de toque retal e PSA, principalmente após os 50 anos de idade é uma maneira de se cuidar e identificar a doença em seu estágio inicial. Além disso, viver com bons hábitos é uma das melhores maneiras de se proteger contra essa doença e muitas outras.

Hábitos que você pode adotar na rotina são:

  • Manter uma alimentação saudável;
  • Praticar atividades físicas;
  • Evitar o consumo de tabaco e bebidas alcoólicas;
  • Evitar o sobrepeso e a obesidade;
  • Manter em dia os exames de rotina;
  • Manter um comportamento sexual seguro;
  • Identificar e tratar adequadamente a hipertensão, diabetes e problemas de colesterol.

Não seja pego de surpresa. Cuide-se e previna-se contra o câncer de próstata e tenha uma vida saudável e alegre na melhor idade.

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e descubra muitos outros superinteressantes. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram e Facebook.

E lembre-se, conte sempre com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia e qualidade. Caso queira agendar o seu, ligue para o telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.



Check-up na Melhor Idade

O cuidado com a saúde é fundamental para ter mais qualidade de vida e o Check-up é um desses cuidados, claro na terceira idade é ainda mais imprescindível, pois além de prevenir doenças, ajuda na conquista da longevidade.  

Com o passar dos anos, o organismo acaba ficando mais lento e mais propenso a desenvolver alguns problemas de saúde, por isso ter exames de rotina em dia fazem a diferença. Inclusive existem alguns exames essenciais nessa faixa etária para a manutenção da saúde. Continue a leitura e confira!

A importância do Check-up


A partir dos 60 anos a vida pode e deve continuar ativa, mas não podemos ignorar o fato de que o organismo fica mais frágil, exigindo maior atenção e cuidados. E assim como em qualquer idade, ter uma vida mais saudável é capaz de prevenir contra doenças e manter a saúde em dia. 

Com bons hábitos, como alimentação equilibrada, prática de atividades físicas, boas noites de sono, vacinas tomadas, consultas médicas regulares e exames de rotina sempre atualizados, ou seja, um Check-up, é possível conquistar mais qualidade de vida.

É importante pelo menos uma vez ao ano realizar um Check-up, pois assim é possível detectar precocemente possíveis problemas de saúde e com o diagnóstico aplicar um tratamento mais rápido e efetivo, afinal quanto antes começar a ser feito, maiores serão as chances de sucesso e cura.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a expectativa de vida do brasileiro em 2019 havia aumentado em até 31,1 anos desde 1940, mas com a pandemia esse crescimento foi interrompido. Para os homens a redução foi de 1,57 ano e para as mulheres foi de 0,9 ano. Mesmo com esse cenário, o Brasil continua com uma grande população idosa e segundo o IBGE, possui cerca de 29 milhões de brasileiros, que têm 60 anos ou mais. Afirma também que em 2025 o Brasil chegará a ser o sexto país no mundo com mais pessoas na terceira idade.

É possível notar através de dados como os citados acima e no nosso dia a dia, que o envelhecimento da população tem aumentado e isso se deve muito à informação e cuidados preventivos.

Adotar o hábito de realizar o Check-up anual é uma forma muito importante de manter os cuidados com a saúde, afinal muitas doenças são silenciosas, não apresentando sintomas em sua fase inicial.

Na terceira idade o Check-up ganha mais alguns exames em sua lista como essenciais, claro que dependendo de cada caso o médico poderá solicitar outros ainda, conforme necessidade e histórico do paciente.

Principais Exames para a Terceira Idade


A prevenção é sempre a melhor medida em qualquer idade, para os idosos exige mais atenção. As consultas ao médico devem ser preventivas, antes clínico geral, passando então para o especialista, o geriatra, que indicará quais exames deverão compor o Check-up.

Os principais exames recomendados em Check-up para idosos são: 

  • Hemograma Completo – o conhecido exame de sangue, que verifica a quantidade e funcionalidade das células que compõem o sangue: hemácias (glóbulos vermelhos), leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas.
  • Perfil Lipídico (Lipidograma) - Colesterol LDL, Colesterol HDL, Colesterol total e Triglicérides – exame que verifica os níveis de colesterol, o considerado bom (HDL), o ruim (LDL), assim como os triglicerídeos e colesterol total. Através desse exame é possível conhecer os riscos de doenças cardiovasculares, recorrentes em idosos.
  • Glicose em jejum – exame que mede a taxa de glicose (açúcar) no sangue. Através dele é possível verificar, diagnosticar e tratar casos de diabetes e pré-diabetes.

Outros Exames de Sangue

  • Ureia - exame que avalia a funcionalidade dos rins e fígado, através da verificação dos níveis de ureia no sangue.
  • Creatinina - exame que avalia o funcionamento dos rins, através da dosagem dos níveis de creatinina no sangue.
  • Transaminases - TGO e TGP – exame que mede os níveis de enzimas do fígado e avaliam a saúde e seu funcionamento. É usado para detectar doenças e problemas no fígado e na bile.
  • TSH – exame que mede o nível de hormônio da tireoide, verificando seu funcionamento, podendo diagnosticar doenças como o hipertireoidismo e hipotireoidismo.
  • Albumina – exame que verifica o estado nutricional geral do paciente e pode identificar possíveis problemas renais ou hepáticos.
  • PSA (Antígeno Prostático Específico) – exame que mede os níveis de PSA no sangue, que quando apresentam alterações podem detectar presença de Câncer prostático ou prostatite.
  • 25 – hidroxi -Vitamina D – exame que verifica os níveis dessa vitamina, pois a deficiência desta aumenta o risco de osteoporose.
  • Cálcio e PTH – exame que verifica a dosagem do hormônio paratormônio e de cálcio no sangue, pois a falta ou excesso está relacionada à várias doenças, como insuficiência renal crônica e hipercalciúria.
  • Urina Tipo 1 (Exame EAS) – exame que verifica a saúde do sistema urinário e dos rins.
  • Exame de fezes – exame que identifica possível presença de parasitas no organismo.
  • T4 livre – exame que verifica a dosagem do hormônio T4 no organismo, que permite avaliar o funcionamento da glândula tireoide. 
  • Proteínas totais e frações – exame que verifica as quantidades de proteínas presentes na circulação sanguínea. Geralmente para suspeita de distúrbios renais e hepáticos.
  • Ácido úrico – exame para verificar se há excesso ou falta de ácido úrico no organismo.
  • Ferritina – exame para avaliar as reservas de ferro no organismo.

Além desses exames laboratoriais também são indicados:

  • Densitometria óssea
  • Para mulheres – Mamografia e Papanicolau
  • Para homens - Exame de próstata
  • Colonoscopia
  • Eletrocardiograma
  • Teste ergométrico
  • Radiografia de tórax

Laboratório Exame


Você pode contar com o Laboratório Exame para realizar seu Check-up completo com toda confiança e segurança. Exames realizados por uma equipe de profissionais capacitados, com eficiência, precisão e rapidez nos resultados.

Gostou do nosso conteúdo? Fique de olho em nosso blog. 

Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram: @labexamearacatuba e Facebook: www.facebook.com/examearacatuba

Caso queira agendar o seu, ligue pelo telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.



Outubro Rosa – Prevenção e Cuidado

O período da campanha de conscientização e combate ao Câncer de Mama faz Outubro ser um mês de luta, aliás uma luta rosa.

A doença é o tipo de Câncer mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo, atingindo apenas 1% dos homens. 

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o Câncer de Mama corresponde a 25% dos novos casos de Câncer e possui maior índice de mortalidade.

Por isso, a prevenção e o cuidado são essenciais, visando reduzir ou até mesmo evitar novos casos. 

Continue a leitura e confira mais sobre esse assunto de saúde tão importante!

O Câncer de Mama


O Câncer de Mama ocorre quando há um desenvolvimento anormal das células da mama, as quais se multiplicam repetidamente até formarem um tumor.

Segundo o INCA os sintomas mais comuns são:

  • Nódulo – caroço ou espessamento na mama;
  • Pele da mama avermelhada, retraída e semelhante a da casca de laranja;
  • Alterações no tamanho ou forma da mama;
  • Alterações no aspecto do mamilo;
  • Pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;
  • Saída de secreção anormal pelo mamilo;
  • Sensibilidade ou inversão do mamilo.

A causa da doença possui vários fatores de risco, que comprometem a saúde de forma geral e podem gerar o tumor, tais como:

  • Obesidade e sobrepeso;
  • Sedentarismo;
  • Consumo de bebida alcoólica;
  • Tabagismo;
  • Exposição frequente às radiações ionizantes (Raio -X);
  • Gênero – feminino;
  • Primeira menstruação antes dos 12 anos;
  • Mamas densas- apresenta 2 vezes mais risco de desenvolver;
  • Não ter tido filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Não ter amamentado;
  • Idade - de cada 5 casos, 4 ocorrem após os 50 anos;
  • Menopausa após os 55 anos;
  • Uso de contraceptivos hormonais;
  • Reposição hormonal pós-menopausa;
  • Histórico familiar de Câncer de Mama;
  • Alteração genética nos genes BRCA1 E BRCA2.

Quanto a incidência da doença, acontece mais conforme a faixa etária:

 Abaixo dos 40 anos – a ocorrência da doença é menor, assim como a mortalidade. Ex: de cada 100 mil mulheres há menos de 10 óbitos;

 40 anos – aumentam as chances de ocorrer a doença;

A partir dos 60 anos – o risco de ocorrer a doença aumenta bastante, é 10 vezes maior.

Então diante desses fatos, a conscientização e prevenção se fazem ainda mais necessárias, seja através da informação, orientação e bons hábitos, que podem ajudar a levar uma vida mais saudável, também ficar atento aos sinais e até evitar mais casos da doença ou mesmo auxiliar a iniciar o tratamento logo no início, garantindo maiores chances de cura.

Prevenção e Diagnóstico Precoce


A prevenção ao Câncer de Mama é capaz de reduzir os riscos da doença se desenvolver no organismo, além de ajudar no tratamento e recuperação dos casos já diagnosticados. Inclusive a prevenção pode ajudar no diagnóstico precoce e isso é capaz de salvar muitas vidas.

De acordo com o INCA ao adotar hábitos saudáveis, é possível reduzir em 30% os riscos de ter a doença. Tais como:

  • Praticar atividade física regularmente;
  • Manter uma alimentação saudável;
  • Não fumar;
  • Ter o peso corporal adequado;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas;
  • Evitar uso de hormônios sintéticos em altas doses;
  • Autoexame;
  • Mamografia;
  • Consultas periódicas ao médico;
  • Manter exames em dia – Check-up;
  • Amamentar - diminui em 4.3% a chance de as mamães desenvolverem um tumor.

Ou seja, realmente é melhor prevenir, do que remediar, além disso levar uma vida saudável resulta em mais qualidade de vida e um sistema imunológico fortalecido. 

Uma das formas de prevenção mais comentadas, é o Autoexame, que é uma forma de autoconhecimento do corpo e que através dele, cerca de 90% das mulheres conseguem notar o nódulo. Fato esse, que ajuda muito para o diagnóstico precoce, principalmente pelo fato de o tumor geralmente se manifestar de forma indolor.

O Autoexame é um dos primeiros passos de prevenção, pois ao notar algo diferente ou mesmo um simples carocinho é importante buscar ajuda médica. Há então o Exame Clínico em que o médico verifica a presença ou não do tumor e dependendo da idade da mulher indica para que seja realizada a Mamografia.

Mamografia: Exame radiológico (raio-x) realizado nas mamas através do aparelho mamógrafo, que comprime a mama e gera imagens de qualidade, capazes de apontar a existência de sinais precoces do Câncer de Mama.

Além da Mamografia existem ainda outros exames que detectam o Câncer, como a Ultrassonografia a Ressonância Magnética e a Mamografia Digital.

O foco da Campanha Outubro Rosa é a conscientização e prevenção ao Câncer de Mama, estimulando o Autoexame, as consultas médicas regulares, a realização da Mamografia para alguns casos e claro o cuidado com a saúde e o bem-estar.

A Campanha Outubro Rosa


A Campanha Outubro Rosa originou-se nos Estados Unidos, inspirada nas ações realizadas pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, que foi criada em homenagem à Susan, vítima do Câncer de Mama. A Instituição se dedicou em realizar ações e arrecadar fundos para a pesquisa no combate da doença. Então no final da década de 90 surgiu o movimento que ganhou o mundo, tornando-se uma luta internacional de prevenção ao Câncer de Mama.

O objetivo da campanha é a divulgação de informações sobre o câncer de mama, destacando as recomendações do Ministério da Saúde para prevenção, diagnóstico precoce e rastreamento da doença.

Outubro foi o mês escolhido para a campanha acontecer, mas as ações continuam ao longo do ano, o que acontece é que elas se concentram mais neste mês. No Brasil inclusive foi sancionada pela Presidência da República a Lei nº 13.733, de novembro de 2018, que dispõe sobre as atividades da Campanha Outubro Rosa.

O Outubro Rosa é uma forma de conscientização e de apoio, leva a informação e guia para a prevenção. E um dos bons motivos da prevenção, é que quando o tumor é detectado logo no início as chances de cura chegam a 95%, ou seja, é o cuidado e tratamento precoce que ajuda a salvar vidas.

Então, mantenha uma rotina de vida mais saudável, faça um Check-up pelo menos uma vez ao ano, com consultas médicas preventivas.

Aproveite e confira a cartilha atualizada disponibilizada pelo Ministério da Saúde, falando tudo sobre o  Câncer de Mama.

Laboratório Exame


Você pode contar com o Laboratório Exame para realizar seu Check-up completo com toda confiança e segurança. Exames realizados por uma equipe de profissionais capacitados, com eficiência, precisão e rapidez nos resultados.

Gostou do nosso conteúdo? Fique de olho em nosso blog. 

Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram: @labexamearacatuba e Facebook: www.facebook.com/examearacatuba

Caso queira agendar o seu, ligue pelo telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.



Exame de urina e fezes – quando fazer e para o que servem?

Muitos ficam desconfortáveis ao falar sobre o assunto, mas a coleta de urina e de fezes é primordial para o diagnóstico de diversos problemas que podem estar afetando o nosso organismo. Por isso, preparamos esse artigo para você descobrir quando fazer e para o que servem os exames de urina e fezes, além de outros detalhes. Continue a leitura e saiba mais.

Para o que serve o exame de urina?

Chamado de Urina tipo 1 e EAS (Elementos Anormais do Sedimento), o exame de urina é geralmente solicitado para que sejam identificadas quaisquer alterações no sistema urinário e renal.

Com ele é possível diagnosticar problemas nos rins ou no trato urinário, além de tipos variados de anemias e diabetes.

Além disso, existem outros exames como o de Urina de 24 horas e o exame de Urocultura, é útil para identificar a presença de bactérias e fungos na urina, que podem estar causando alterações e prejuízos ao organismo. 

A Urocultura, pode ser útil também para gestantes, pois pode confirmar a pré-eclâmpsia, a hipertensão típica durante a gravidez. 

Para o que serve o exame de fezes?

O exame de fezes assim como o de urina, pode ser utilizado para que sejam descobertas diversas anomalias que possam estar afetando negativamente o organismo, principalmente quando o paciente apresenta sintomas relacionados a vermes, como diarreia, dores abdominais, presença de sangue nas fezes e mais.

Com ele é possível avaliar a função digestiva, além de identificar e entender melhor causas de dores no estômago, hemorragias intestinais, diarreia em crianças, tumores e outros males intestinais e claro, possíveis parasitas instalados no organismo, como os já citados vermes, lombrigas e mais.

Como é realizado o exame de urina?

A coleta de amostra para a realização do exame de urina, não requer a necessidade de jejum pelo paciente e pode ser feita em casa ou no laboratório. Caso opte por realizar em casa fique atento, pois a amostra deve ser entregue ao laboratório em até 2 horas para que a análise possa ser feita com eficácia.

Antes de realizar a coleta, higienize as partes íntimas com água e sabão para que evite contaminações no material, depois disso urine no recipiente entregue pelo laboratório. Recomenda-se que seja coletada a primeira urina da manhã, mas rejeitando o primeiro jato. 

Como é realizado o exame de fezes?

A coleta de amostra para a realização do exame de fezes, deve ser feita com muito cuidado para que sejam evitadas contaminações, sejam pelo contato com urina ou água do vaso sanitário. 

Recomenda-se que o paciente evacue em um penico ou folha de papel branco colocada no chão do banheiro. Depois, com a pazinha entregue pelo laboratório, colete um pouco das fezes e guarde dentro do recipiente também entregue pelo laboratório. Após coletada, a amostra deve ser guardada na geladeira por 24 horas e então entregue para análise. 

Alguns laboratórios podem solicitar de duas a três coletas em dias diferentes, para que a análise seja mais precisa. 

O material é submetido a testes para inspecionar aparência, composição e consistência. 

Como são obtidos os resultados?

A análise se dá através da busca por substâncias estranhas que não deveriam estar presentes nas amostras coletadas. 

Na urina, por exemplo, não deve ter a presença de glicose em excesso, proteínas ou corpos cetônicos, pois estes indicam diabetes e doenças renais. 

Já nas fezes, por exemplo, não deve ter a presença de hemoglobina humana ou ovos de larvas e parasitas diversos. 

 

De quanto em quanto tempo devem ser realizados?

Essa é uma dúvida muito comum, mas normalmente tanto o exame de urina, quanto o de fezes, são solicitados de acordo com as necessidades médicas específicas. Ou seja, você deve realizar esse tipo de exame quando recomendado pelo seu médico em uma consulta. 

O exame de urina por exemplo, faz parte dos exames presentes em um Check-up. Enquanto o de fezes é realizado para identificar precocemente o câncer colorretal em indivíduos acima dos 40 anos ou com histórico familiar. 

Onde fazer exame de urina ou fezes em Araçatuba?

Você pode realizar o exame de urina ou fezes com eficácia, confiança e segurança no Laboratório Exame. Contamos com uma equipe capacitada para te orientar adequadamente, além de biomédicos especializados em diversas áreas, aptos a realizar análises com muita precisão. 

Precisa fazer o exame de urina ou fezes em Araçatuba? Clique aqui e agende agora seus exames. 




Saiba qual a importância de realizar um Check-up pós-COVID

A pandemia da COVID-19 assolou o mundo todo e infelizmente infectou milhões de pessoas. Felizmente muitos se recuperaram da doença, mas os médicos aconselham que pós-COVID seja realizado um Check-up, pois mesmo após a eliminação do vírus no organismo, a doença pode causar sequelas e afetar órgãos e sistemas importantes para a saúde. 

Continue a leitura e descubra a importância de realizar um Check-up pós-COVID e que tipos de exame fazer. 

O que é um Check-up?

O Check-up nada mais é, do que uma avaliação médica de rotina, na qual são realizados exames específicos, levando em consideração diversas características pessoais do paciente, como sua idade, sexo, histórico familiar, etc.

Por que fazer um Check-up depois de contrair COVID-19? 

A COVID-19 é uma doença sistêmica, ou seja, que pode impactar todo o organismo humano, causando uma série de problemas, como processos inflamatórios, que assim como qualquer outra doença devem ser avaliados com agilidade e acompanhados por um especialista para que sejam identificadas possíveis sequelas e iniciados os tratamentos adequados rapidamente, caso sejam necessários. 

É necessário realizar o Check-up mesmo tendo um quadro leve de COVID-19? 

A COVID-19 pode se manifestar com diferentes intensidades em cada indivíduo, causando sintomas variados. Contudo, mesmo aqueles que tiveram casos leves da doença podem apresentar sequelas, que afetam partes variadas do organismo, causando: 

  • Fadiga;
  • Dor de cabeça;
  • Dores no peito;
  • Arritmia cardíaca;
  • Déficit de memória;
  • Perdas de olfato e paladar.

Por isso independente da intensidade da infecção, recomenda-se que todos os pacientes façam um exame após a infecção com a COVID-19. 

Como proceder em casos moderados ou graves de COVID-19?

Nesses casos, principalmente naqueles em que é necessária a internação ou até mesmo intubação do paciente, o Check-up após a infecção se faz ainda mais necessário e importante para a manutenção da saúde. 

Em muitos desses quadros, os pacientes desenvolvem algum tipo de comprometimento respiratório, cardíaco ou renal. Além disso, pode acontecer casos de descompensação de doenças crônicas já presentes no organismo, como a diabetes e hipertensão. 

Como é o Check-up pós-COVID?

Tudo depende do seu quadro de COVID-19 e também o médico responsável. Mas na maioria dos casos, é solicitado um Check-up completo e depois de avaliados os resultados, o paciente é encaminhado para outro especialista, de acordo com as necessidades de tratamento e os sintomas apresentados pelo indivíduo.  

Quais exames são necessários em um Check-up?

Diversos exames podem ser realizados em Check-ups, isso vai depender de cada organismo, das necessidades que o médico identificar, além das sequelas apresentadas pelo paciente. Contudo os mais comuns de serem solicitados nesses casos são:

  • Exames para analisar a saúde pulmonar - tomografia de tórax e prova de função pulmonar (ou espirometria).
  • Exames para analisar a saúde cardiovascular - eletrocardiograma, ecocardiograma e teste ergométrico.
  • Exames para analisar a saúde neurológica - ressonância magnética do encéfalo, tomografia computadorizada encefálica, além de testes motores e cognitivos.

Além disso, exames para avaliar a situação geral do organismo como:

  • Colesterol e Glicemia – proporciona a análise da concentração de gorduras e açúcares presentes na circulação sanguínea;
  • Hemograma – avalia o estoque de células vermelhas e brancas no organismo através do exame de sangue;
  • Ultrassom – avalia a situação dos órgãos e tecidos do corpo.

Claro, esses não são os únicos exames solicitados em um Check-up, são apenas os mais comuns. Contudo, o seu médico irá avaliar o seu estado, as suas características e avaliar a necessidade de indicar e solicitar a realização de exames mais específicos ou até mesmo o encaminhamento para outro especialista.

Reforçamos que o Check-up cardiorrespiratório é um dos mais importantes de serem realizados, uma vez que o coração e os pulmões são os órgãos mais afetados pelas sequelas e consequências da COVID-19.

Onde fazer exames laboratoriais em Araçatuba? 

Se você contraiu COVID-19, independente da intensidade da infecção, procure um médico e realize um Check-up para manter a saúde em dia, prevenir futuros problemas e interferências em sua qualidade de vida. 

Se no Check-up seu médico solicitar exames laboratoriais, você pode contar com o Laboratório Exame. Aqui você realiza exames com segurança, confiança e eficácia, além de praticidade, afinal você pode agendar a coleta móvel. 

Para agendar o seu exame, basta clicar aqui. Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e descubra muitos outros superinteressantes. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram: @labexamearacatuba e Facebook: www.facebook.com/examearacatuba



É necessário fazer teste de COVID-19 para viajar?

Viajar em meio a pandemia requer alguns cuidados especiais. Existem diversos protocolos de segurança que foram desenvolvidos para manter a segurança da população e devemos estar atentos a todos eles. 

É necessário fazer teste de COVID-19 para viajar? É seguro viajar sem fazer o teste? Quais são os testes aceitos em aeroportos? São apenas algumas das dúvidas mais comuns entre os viajantes, por isso preparamos esse artigo para te responder e ajudar a viajar em segurança. Continue a leitura e anote todas as informações.

Preciso fazer exame de COVID-19 para viagens nacionais?

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e as companhias áreas, assim como outras instituições adotaram medidas preventivas para evitar a disseminação da COVID-19. Fora do Brasil, aeroportos exigem que o passageiro apresente o resultado do teste para COVID-19 para o desembarque e essa prática causou dúvida nos brasileiros, afinal é preciso fazer o mesmo em viagens nacionais?

A resposta para essa pergunta é não! De acordo com as medidas adotadas pela ANAC, o passageiro não é obrigado a fazer exame de COVID-19 e apresentar os resultados para embarcar ou desembarcar em voos domésticos nacionais. Nessas viagens o passageiro deve apenas seguir os protocolos de segurança exigidos pela empresa aérea com a qual viajar.

Preciso fazer exame de COVID-19 para viagens internacionais?

Diversos países já aceitam a vacinação completa como comprovante de imunização para viajar, contudo muitos ainda requerem indispensavelmente também a realização do exame RT-PCR para que o passageiro possa entrar no país. Por isso, ao planejar uma viagem internacional, pesquise sobre os protocolos da empresa aérea e do país de destino para evitar imprevistos e manter a sua segurança. 

Quem deve realizar o teste de COVID-19?

Mesmo não sendo um requisito necessário para viagens nacionais, em alguns casos para preservar sua saúde e a dos outros viajantes é importante realizar o teste, como por exemplo ao apresentar sintomas como dores de cabeça, febre e tosse, dessa forma em caso positivo de infecção, você já pode iniciar o tratamento e repouso necessário e ainda evitar a contaminação de outras pessoas. 

Claro, além disso, caso você pretenda fazer viagens internacionais o exame também deve ser realizado. Muitas companhias aéreas contam com parcerias com laboratórios, por isso informe-se na empresa aérea com a qual vai viajar e faça o teste. 


Quais são os tipos de exame de COVID-19?

Existem duas formas de identificar a infecção com a COVID-19, uma é através da presença de material genético do vírus no organismo (Teste RT-PCR) e outra através dos anticorpos presentes no organismo (Teste Rápido e Teste Sorológico).

Para viagens internacionais de avião, o exame exigido é o RT-PCR, que identifica o vírus em qualquer fase de contaminação. Abaixo descrevemos como é realizado cada um desses testes, confira:

Teste rápido 

É realizado através da coleta de sangue da ponta do dedo. O resultado é rápido, ficando disponível em poucos minutos, mas a confiabilidade depende da fase de contaminação em que o paciente está. 

Teste RT-PCR 

É realizado através da coleta com swab (instrumento parecido com um cotonete) pelo nariz ou boca. O resultado leva em média dois dias para ser disponibilizado, mas tem alto grau de confiabilidade, aproximadamente 90%.

Teste Sorológico

É realizado através da coleta de sangue feita por punção. O resultado também leva em média dois dias para ser disponibilizado.



Onde fazer o exame para detecção da COVID-19 em Araçatuba?

Quer descobrir se já foi ou está infectado pela COVID-9? No Laboratório Exame você pode realizar os testes com segurança e confiabilidade, basta escolher o tipo de exame e o melhor dia e horário para realizar. Se preferir, ainda pode agendar a coleta móvel, na qual enviamos um de nossos profissionais até a sua casa para realizar a coleta, seguindo todos os protocolos de segurança e garantindo a sua comodidade, além de resultados confiáveis. 

Entre em contato e agende: 

Rua Floriano Peixoto, 817 - Araçatuba/SP

Telefone: (18) 3622-0011

WhatsApp: (18) 98119-3963 

Acompanhe nosso blog para mais conteúdos como esse e nos siga nas redes sociais para ficar por dentro das novidades.



Aleitamento Materno – quais são os tipos e sua importância para a saúde dos bebês

O leite materno é o alimento mais nutritivo para garantir a saúde dos bebês no início da vida. Responsável pela diminuição dos índices de mortalidade infantil, o Aleitamento Materno se faz uma prática ainda mais importante, inclusive proporcionando benefícios às mães.

Nesse artigo vamos explicar quais são os tipos de aleitamento materno e sua importância para a saúde dos bebês e mamães. Continue a leitura e descubra tudo sobre essa prática tão linda e poderosa.  

O que é Agosto Dourado?

Durante o mês de agosto é celebrada a campanha “Agosto Dourado”, criada em 2017 pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a partir da semana do Aleitamento Materno, que acontece do dia 1 a 7 de agosto. O intuito é conscientizar pais e mães sobre a importância da amamentação e do leite materno para a saúde dos bebês e mamães. 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o leite materno o “alimento de ouro” para a saúde dos bebês, daí a escolha da cor dourado para representar a campanha. Além disso, essa cor representa também o padrão ouro de qualidade, ressaltando assim como esse alimento é benéfico e único. 

Todos os dias do mês são criadas ações pelas instituições, a fim de incentivar e promover o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida, podendo esse prazo se estender até os dois anos de idade ou mais, garantindo assim mais saúde as nossas crianças e suas mães. 

O que é Aleitamento Materno?

O Aleitamento Materno é o ato de alimentar uma criança exclusivamente com o leite materno até os seis meses de idade. Ou seja, nos seis primeiros meses, o bebê não deve ingerir nenhum outro tipo de líquido ou alimento, nem que seja complementar. Ato recomendado inclusive pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Qual é a importância do Aleitamento Materno para os bebês?

O leite materno é primeiro alimento de qualquer criança, ele é crucial para o desenvolvimento e fortalecimento do corpo nos primeiros meses de vida.

Diferente dos leites que são comercializados, o leite materno possui anticorpos e glóbulos brancos que ajudam a prevenir infecções e outras doenças, além contar com todas as proteínas, vitaminas, açúcares, água e gordura necessárias para o desenvolvimento saudável de uma criança. 

Esse alimento tão importante proporciona tantos benefícios, que é responsável pela redução em 13% da taxa de mortalidade de crianças com até os cinco anos de idade.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que nenhum pai alimente seu filho com nada que não seja o leite materno, até os seis meses de vida. A partir desse momento é recomendado que a criança consuma outros alimentos complementares, mas que a amamentação continue até os dois anos de idade.

Para os bebês, o Aleitamento Materno: 

  • Proporciona um vínculo afetivo maior entre mãe e filho;
  • Melhora a digestão;
  • Minimiza cólicas; 
  • Previne a diarreia e infecções respiratórias;
  • Previne doenças alérgicas e contagiosas;
  • Reduz o risco do desenvolvimento de doenças, como a doença de Crohn e Linfoma, além de hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade;
  • Estimula o desenvolvimento da cavidade bucal;
  • Previne problemas na fala;
  • Ajuda no desenvolvimento da inteligência;
  • Auxilia no crescimento;
  • Melhora a nutrição.

O Aleitamento Materno também oferece benefícios para mães

Sim, as mamães também ganham muito com o Aleitamento Materno. Os principais benefícios à saúde proporcionados por essa prática são:

  • Proporciona um vínculo afetivo maior com a criança;
  • Ajuda a diminuir o sangramento no pós-parto;
  • Auxilia o útero a voltar ao tamanho normal de forma mais rápida;
  • Reduz as chances de desenvolvimento de câncer de mama, ovário e endométrio;
  • Minimiza as chances do desenvolvimento de osteoporose;
  • Previne contra doenças cardiovasculares, como o infarto;
  • Previne anemia;
  • Auxilia na diminuição da ansiedade;
  • Aumenta a segurança emocional;
  • Auxilia a perda de peso.

Quais são os tipos de Aleitamento Materno?

O leite materno atende todas as necessidades nutricionais, imunológicas e psicológicas do bebê, por isso é recomendado como alimento exclusivo até o sexto mês de vida. Contudo, existem vários tipos de aleitamento materno e é importante que conheçamos todos eles. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o aleitamento pode ser classificado em cinco tipos, sendo eles:

1 – Aleitamento Materno Exclusivo 

Como o próprio nome diz, é quando a criança é alimentada exclusivamente de leite materno, (direto da mama, ordenhado ou de leite humano de outra fonte), sem a ingestão de quaisquer outros líquidos ou sólidos, com exceção de gotas ou xaropes com vitaminas, sais de reidratação oral, suplementos minerais ou medicamentos pontuais. 

2 – Aleitamento Materno Predominante

Quando a criança ingere água ou outras bebidas à base de água (água adocicada, chás, infusões), como sucos de frutas e fluidos rituais, além do leite materno.  

3 – Aleitamento Materno

Quando a criança recebe leite materno (direto da mama ou ordenhado), independentemente de ser alimentada ou não com outros tipos de alimentos.

4 – Aleitamento Materno Complementado 

Quando a criança recebe outros tipos de alimentos sólidos ou semissólidos além do leite materno, a fim de complementá-lo e não o substituir. 

5 - Alimento Materno Misto ou Parcial 

Quando a criança recebe leite materno e outros tipos de leite. 

Viu como o Aleitamento Materno é importante para a saúde das mães e dos bebês? Por isso, apoie o Agosto Dourado e compartilhe essas informações valiosas com todos que você conhece, quanto mais pessoas souberem dos benefícios da amamentação, melhor será o futuro.

Gostou do nosso conteúdo? Fique de olho em nosso blog. 

Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram: @labexamearacatuba e Facebook: www.facebook.com/examearacatuba

E lembre-se, conte sempre com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia e qualidade. Caso queira agendar o seu, ligue pelo telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.



Convênios médicos aceitos no Laboratório Exame

Solicitados por médicos de diferentes especialidades e para descobrir condições diversas, os exames laboratoriais são mais do que essenciais para a manutenção da saúde, afinal são responsáveis pelo diagnóstico ou confirmação de patologias ou até mesmo para exames de rotina.

Encontrar um laboratório de confiança nem sempre é fácil, mas quando se tem plano de saúde, normalmente você vai até empresas parceiras. Por isso, listamos os convênios médicos aceitos no Laboratório Exame. 

O Laboratório Exame

Fundado em 1997, o Laboratório Exame é um centro de diagnósticos abrangente, localizado em instalações modernas, projetadas para proporcionar conforto aos clientes. 

O Laboratório Exame utiliza uma extensa variedade de recursos tecnológicos, que executam de forma integrada mais de 1.000 tipos diferentes de testes diagnósticos, submetidos a rigorosos controles de qualidade por meio de auditorias internas e externas, entre as quais destaca-se a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica (SBPC), que concede o Certificado de Qualidade. Para manter a qualidade dos serviços, o Laboratório Exame conta com especialistas e bioquímicos formados e treinados nas melhores universidades, continuamente submetidos a processos de aperfeiçoamento e reciclagem.

A Equipe 

Com mais de 24 anos de atuação no município de Araçatuba, a equipe do Laboratório Exame só cresceu e evoluiu, sempre com objetivo de colaborar para o desenvolvimento técnico científico e potencializar ao máximo a qualidade apresentada nos serviços prestados. Toda a equipe é composta por profissionais biomédicos especializados em:

  • Análises Clínicas;
  • Bioquímica Clínica Laboratorial;
  • Farmacêutica Bioquímica;
  • Hematologia e  Banco de sangue;
  • Microbiologia.

 

Convênios parceiros do Laboratório Exame 

O Laboratório Exame é parceiro dos seguintes convênios:

CARDASSI 

A Cardassi, Funerária e Plano de Assistência Familiar, é uma empresa que atua em Araçatuba e região há mais de 89 anos, oferecendo aos conveniados acesso à rede de médicos, laboratórios, farmácias e clínicas odontológicas com preços especiais, além de um atendimento atencioso e de qualidade.

Com uma ampla gama de serviços e instituições associadas, a Cardassi ainda conta com uma parceria com o Condomínio Santa Rita, centro de saúde que oferece atendimento médico e odontológico, garantindo ao conveniado ainda mais assistência médica.

Saiba mais sobre clicando aqui. (Linkar: http://cardassi.com.br/plano-assistencial-familiar-cardassi/)

SANTA CASA

Criado em 1997, o plano Santa Casa Saúde de Araçatuba é um convênio próprio oferecido pela Santa Casa de Misericórdia. Prezando pela qualidade de atendimento, o plano que já tem 24 anos de existência, conta com uma sede própria na Rua Oscar Rodrigues Alves, garantindo assim maior agilidade e conforto no atendimento de seus beneficiários. 

Saiba mais sobre clicando aqui. (LINKAR: https://www.scsaudearacatuba.com.br/sobre-nos/)

UNIMED

Com 342 cooperativas, 2.405 hospitais credenciados e 131 hospitais próprios a Unimed é o maior sistema cooperativista de trabalho médico do mundo e atua como operador de planos de saúde. Presente em quase todo país, a Unimed é uma das maiores redes de assistência médica, oferecendo pronto atendimento, laboratórios, centros de diagnósticos e clínicas para garantir o melhor atendimento aos seus beneficiários. 

Saiba mais sobre clicando aqui. (LINKAR: https://www.unimed.coop.br/site/sistema-unimed )

Como agendar um exame no Laboratório Exame em Araçatuba?

O Laboratório Exame é parceiro dos três principais convênios de Araçatuba e região: Cardassi, Santa Casa e Unimed. Todos os conveniados a algum desses planos, usufruem de descontos e condições especiais para realizar os exames com a qualidade, que só o Laboratório Exame oferece.

No Laboratório Exame, o paciente tem vantagens especiais, pois além de garantir exames pelo melhor preço e condições de pagamento, tem a confiança de ter seus resultados analisados por uma equipe de profissionais especializados em diversas áreas, além de agilidade nos resultados, podendo em casos urgentes acessar os resultados de forma on-line em até duas horas.

O paciente pode também realizar seus exames do conforto da sua casa, através do serviço de coleta móvel, no qual enviamos até a residência, em horário previamente marcado, um dos nossos profissionais devidamente equipado com os EPIs e materiais necessários para fazer a coleta do exame. 

É conveniado Cardassi, Santa Casa ou Unimed? Faça seus exames com segurança no Laboratório Exame!

Clique aqui para agendar ou entre em contato para mais informações:

Telefone: (18) 3622-0011.

WhatsApp: (18) 9 8119-3963.



Julho Amarelo - Mês de conscientização sobre as Hepatites virais

No mês de Julho é realizada a campanha Julho Amarelo, um mês dedicado à prevenção e conscientização sobre as Hepatites virais. 

Neste artigo trouxemos algumas informações importantes sobre essa doença, que atinge milhões de pessoas, assim como vamos contar mais sobre a campanha Julho Amarelo.

O que é Julho Amarelo?

Julho Amarelo é uma campanha criada com o intuito de conscientizar sobre a importância de ações de prevenção, para o controle do índice de Hepatites virais. 

Instituída no Brasil pela Lei n° 13.802/2019, essa campanha ganhou forças e tem feito esforços para levar mais conhecimento e informações sobre a doença adiante, auxiliando assim na prevenção de novos casos. 

O que é a Hepatite?

A Hepatite é uma infecção que tinge e inflama o fígado, causando leves, moderadas e até mesmo graves alterações no órgão. Causada por vírus e/ou uso de determinados medicamentos, álcool e outras drogas em excesso, além de algumas doenças autoimunes, metabólicas e genéticas, essa doença se manifesta poucos dias após o contato da pessoa com o vírus.

Contudo a Hepatite, na maioria dos casos, se apresenta de forma silenciosa, ou seja, sem a presença de sintomas, por isso muitos infectados demoram para perceber a doença em seu organismo, o que prejudica o tratamento eficaz.

Existem diversos tipos de Hepatite no mundo, porém os tipos virais mais comuns no Brasil são as Hepatites A, B e C. Claro, ainda assim existem casos dos outros tipos no país, como a D (Delta) e a E, mas são em números drasticamente menores. O vírus da Hepatite D é mais comum na região norte do país, enquanto o da E é menos comum ainda no Brasil e mais encontrado na África e Ásia.

Quais são os principais sintomas das Hepatites virais?

Os sintomas das Hepatites virais podem variar de acordo com o tipo de vírus, pelo qual a pessoa foi infectada e geralmente se apresentam na fase aguda da doença, causando:

  • Dores de cabeça;
  • Dores e inchaços abdominais;
  • Mal-estar;
  • Cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos;
  • Urina escura;
  • Fezes claras;
  • Enjoos;
  • Vômitos;
  • Emagrecimento repentino sem causa.

A Hepatite do tipo B não costuma apresentar sintomas, evoluindo lentamente e silenciosamente pelo organismo.

Nos poucos casos em que esse tipo de Hepatite apresenta sintomas nos infectados, estes são:

  • Febre alta;
  • Cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos;
  • Mal-estar recorrente;
  • Falta de apetite.

Na grande maioria dos casos, o paciente infectado com Hepatite B, quando diagnosticado, pode ser curado. Diferente dos pacientes com Hepatite tipo C, que devem percorrer uma longa caminhada no tratamento da doença.

Como as Hepatites virais são transmitidas?

As formas de transmissão mais comuns são:

  • Contato com sangue contaminado;
  • Contato com urina ou fezes de alguém contaminado;
  • Beber água ou consumir alimentos contaminados por fezes;
  • Compartilhar seringas e agulhas;
  • Compartilhar objetos de uso pessoal, como barbeadores e alicates de unha;
  • Ter relações sexuais sem o uso de preservativos;

Como as Hepatites virais são diagnosticadas?

Através da observação do paciente infectado e por meio de exames sorológicos de sangue.

Onde fazer o exame para diagnóstico de Hepatite em Araçatuba?

A Hepatite é uma doença grave, que quando não tratada corretamente pode levar o indivíduo a óbito. Por isso o quanto antes for descoberta, melhor. 

Em Araçatuba você pode fazer o exame de Hepatite no Laboratório Exame. Com anos no mercado e uma equipe composta por biomédicos especializados em diferentes áreas, garantimos resultados seguros, confiáveis e rápidos. 

Clique aqui para agendar seu exame. Se preferir pode ligar pelo telefone (18) 3622-0011 ou enviar uma mensagem através do WhatsApp (18) 98119-3963.

Nosso horário de atendimento é: 

  • De segunda à sexta das 6h às 18h.
  • Aos sábados das 7h às 12h.

Saiba mais sobre a Hepatite

Quer saber mais detalhadamente sobre as Hepatite Virais? Clique aqui e confira nosso artigo falando sobre suas causas, sintomas, prevenção e tratamento. É um texto completo para você saber tudo sobre essa doença, compartilhar com os amigos e assim ajudar na prevenção.

Lembre-se, Hepatite é uma doença séria, por isso faça o teste, vacine-se e previna-se!

Gostou do conteúdo? Acompanhe nosso blog e redes sociais para mais: Instagram: @labexamearacatuba e Facebook: www.facebook.com/examearacatuba



Maio Vermelho – Como se prevenir contra a Hepatite?

A Hepatite é um problema de saúde pública muito grave no Brasil e no mundo. É uma doença que atinge milhares de pessoas, contudo muitas ainda não sabem quais são os seus sintomas, causas, meios de transmissão, métodos de prevenção e tratamento. Por isso, fizemos esse artigo para que você saiba tudo o que precisa sobre a Hepatite e possa se prevenir.

 

O que é a Hepatite?

A Hepatite é uma infecção que inflama o fígado, causando leves, moderadas e até mesmo graves alterações no órgão. Causada por vírus e/ou uso de determinadas substâncias em excesso, essa doença começa a atuar no organismo poucos dias após o contato da pessoa com o vírus.

Contudo, na maioria das vezes se apresenta de forma silenciosa, ou seja, sem a presença de sintomas visíveis, por isso existem muitos casos em que os infectados demoram para perceber a doença.

Quando a Hepatite se manifesta é comum que apresente sintomas como: cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos, urina escura, fezes claras, cansaço, febre, tontura, mal-estar, enjoos, vômitos e dores abdominais.

Existem diversos tipos de Hepatite no mundo, porém os tipos mais comuns no Brasil são as Hepatites A, B e C. Claro, ainda assim, mesmo raros, existem casos dos outros tipos, como a D e a E, no país.

 

A importância da campanha Maio Vermelho

A campanha Maio Vermelho foi criada com o objetivo de alertar toda a população, sobre os perigos que a Hepatite pode trazer a vida e conscientizar sobre a importância da sua prevenção.

Por ser uma doença muitas vezes silenciosa, apresentando sintomas apenas quando alcança um estágio avançado, o diagnóstico precoce é o maior aliado no combate da Hepatite.

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 500 mil pessoas convivem com o vírus da Hepatite C e ainda não tem conhecimento disso. Mas o levantamento também mostra que houve uma redução de 7% no número de casos notificados no país.

 

O desenvolvimento da Hepatite no organismo

Frequentemente as Hepatites dos tipos B e C se tornam doenças crônicas por não apresentarem sintomas, assim grande parte dos infectados não sabem que estão contaminados e passam anos sem o devido diagnóstico e consequentemente tratamento, permitindo com que a doença evolua por anos e até mesmo décadas em seu corpo.

Conforme avança, a infecção compromete muito o funcionamento do fígado, causando fibrose avançada ou cirrose, que podem causar o desenvolvimento de câncer, necessitando em casos mais graves, até mesmo o transplante do órgão.

Estima-se que esses dois tipos de Hepatites causem anualmente 1,4 milhões de mortes em todo o mundo, tanto por infecção aguda, câncer hepático ou cirrose associada as Hepatites.

 

Quais são os principais sintomas da Hepatite?

Como citamos acima, existem diversos tipos de Hepatite, por isso os sintomas podem variar de acordo com o tipo de vírus pelo qual a pessoa foi infectada.

Os sintomas geralmente se apresentem na fase aguda da doença, causando:

·      Dores de cabeça;

·      Dores e inchaços abdominais;

·      Mal-estar;

·      Cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos;

·      Urina escura;

·      Fezes claras;

·      Enjoos;

·      Vômitos;

·      Emagrecimento repentino sem causa específica.

 

A Hepatite do tipo B, como já citamos, não costuma apresentar sintomas, evoluindo lentamente e silenciosamente pelo organismo.

Nos poucos casos em que esse tipo de Hepatite apresenta sintomas nos infectados, estes são:

·      Febre alta;

·      Cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos;

·      Mal-estar recorrente;

·      Falta de apetite.

Na grande maioria dos casos, o paciente infectado com Hepatite B, quando diagnosticado, pode ser curado. Diferente dos pacientes com Hepatite tipo C, que devem percorrer uma longa caminhada no tratamento da doença.

 

Quais são as causas da Hepatite?

A Hepatite pode ser causada por:

·      Infecção com o Vírus das Hepatites A, B, C, D, E ou G;

·      Infecção com bactérias ou parasitas causadores da Hepatite;

·      Uso excessivo e não controlado de determinados medicamentos;

·      Consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Além disso, a Hepatite pode ser causada em pessoas que possuem algumas doenças específicas como: Lúpus, Fibrose Cística, Anemia Hemolítica e doenças inflamatórias intestinais.

 

Como a Hepatite é transmitida?

A Hepatite pode ser transmitida de diversas formas, as mais comuns são:

·      Contato com sangue contaminado;

·      Contato com urina ou fezes de alguém contaminado;

·      Beber água ou consumir alimentos contaminados por fezes;

·      Compartilhar seringas;

·      Ter relações sexuais sem o uso de preservativos;

·      Transfusão de sangue;

·      De mãe para filho através do parto normal;

Algumas dessas formas de transmissão das Hepatites eram mais comuns antigamente, quando a medicina não contava com tantas tecnologias e exames diferenciados. Este é caso das duas últimas da lista: Transfusão de sangue; de mãe para filho através do parto normal. Também é possível que a doença seja desenvolvida em gestantes que não seguem o pré-natal corretamente.

 

Quais são os métodos de prevenção da Hepatite?

A Hepatite é uma doença séria e todos os tipos podem causar consequências drásticas, por isso é essencial tomar os devidos cuidados para se prevenir.

Para te ajudar, listamos quais são os principais métodos de prevenção das Hepatites A, B e C. Confira.

 

Métodos de prevenção da Hepatite A

Como citamos acima, uma das formas de transmissão da Hepatite A é através da ingestão de bebidas e alimentos contaminados pelo vírus. É comum que áreas que não possuam saneamento básico sejam altamente afetadas pela doença, uma vez que as fezes podem contaminar rios e até mesmo plantações das quais são retirados os alimentos de famílias.

Os principais métodos de prevenção da Hepatite A são:

·      Tomar a vacina contra a Hepatite A;

·      Adotar bons hábitos de higiene, como por exemplo, sempre lavar as mãos antes de comer;

·      Beber água potável;

·      Evitar o consumo de alimentos crus;

·      Higienizar os alimentos corretamente antes do consumo;

·      Optar por alimentos cozidos, uma vez que, dessa forma os vírus são eliminados;

·      Evitar o consumo e ingestão de bebidas e alimentos preparados em más condições de higiene.

 

Métodos de prevenção das Hepatites B e C

As Hepatites do tipo B e C podem ser transmitidas através do contato com sangue ou secreções de pessoas infectadas por um dos dois vírus.

Os principais métodos de prevenção das Hepatite B e C são:

·      Tomar a vacina da Hepatite B;

·      Usar preservativo em todas as relações sexuais;

·      Não compartilhar objetos de uso pessoal, como lâminas de barbear, objetos de manicure, etc;

·      Utilizar luvas descartáveis ao tratar as feridas ou socorrer alguém em situações onde há sangramento;

·      Exigir material descartável novo ao realizar procedimentos, como tatuagens, piercings, brincos, acupuntura, etc.

 

Importante:

Como o tipo C ainda não possui vacina, a melhor forma de prevenção mesmo é evitar o contato com o sangue contaminado. A Hepatite tipo C tem cura em mais de 90% dos casos quando o tratamento é seguido corretamente. 

E quanto a Hepatite D, é um tipo que está ligada com a infecção e inflamação de tecidos do fígado a partir do vírus B, assim tomar a vacina contra a Hepatite B é uma forma de prevenção mais adequada.

As vacinas para os tipos A e B podem ser tomadas isoladas ou inclusive podem ser combinadas.

 

Como é diagnosticada a Hepatite?

A Hepatite pode ser diagnosticada através da observação do paciente infectado e por meio de exames sorológicos de sangue. Alguns dos mais utilizados para isso, são:

 

1 – Hepatograma

Consiste em uma série de exames de sangue, capaz de definir qual o grau de inflamação do fígado, através de marcadores da função hepática, como bilirrubinas, fosfatase alcalina, aminotransferases, albumina e tempo de protrombina. Todas essas substâncias analisadas são capazes de identificar o estado de funcionamento do fígado.

 

2 – ALT

O teste de ALT tem como objetivo detectar lesões hepáticas. Nesse exame, é possível identificar a dosagem da atividade da enzima alanina aminotransferase (ALT). Esses valores são comparados aos de outras enzimas, como a fosfatase alcalina (ALP) e aspartato aminotransferase (AST). Através dessa comparação é possível identificar que tipo de doença hepática está presente no organismo.

 

3 – AST

O teste de AST, funciona da mesma forma que o ALT. Neste é possível identificar a dosagem da atividade da enzima aspartato-aminotransferase (AST). Esses valores são comparados aos de outras enzimas, como a fosfatase alcalina (ALP) e alanina aminotransferase (ALT). Através dessa comparação é possível identificar que tipo de doença hepática está presente no organismo.

 

4 – Bilirrubina

Nesse exame, é realizada a dosagem da bilirrubina (substância produzida quando o fígado decompõe glóbulos vermelhos velhos). A partir desses valores é possível avaliar o excesso desse componente no sangue, avaliando assim o funcionamento do fígado.

 

Ainda existem diversos outros exames que podem ser realizados para a identificação da Hepatite. O médico por exemplo, pode solicitar uma ultrassonografia para avaliar aspectos do fígado, como: tamanho, obstrução ou se há presença de tumores no órgão.

 

Como é o tratamento da Hepatite?

Normalmente a Hepatite é tratada através de muito repouso, hidratação e com uma alimentação saudável e equilibrada. Contudo, em alguns casos específicos, o médico pode prescrever alguns tipos de medicamentos.

Em casos nos quais é necessário o uso de medicamentos no tratamento da Hepatite, é comum que os pacientes sintam efeitos colaterais causados pelos remédios, como:

·      Febre;

·      Dores de cabeça;

·      Insônia;

·      Alta irritabilidade.

Esses efeitos, muitas vezes fazem com que pacientes abandonem o tratamento da doença, comprometendo ainda mais o caso. Entretanto, mesmo com todos os incômodos causados pelos medicamentos, com o decorrer do tratamento eles acabam diminuindo. Outros medicamentos também podem ser utilizados para amenizar esses efeitos, como analgésicos, antidepressivos e/ou anti-inflamatórios.

 

A Hepatite é uma doença séria, que em casos nos quais o infectado não é devidamente tratado pode levar a morte. Cuide-se, adote todas os métodos de prevenção no seu dia a dia e poupe você e as pessoas ao seu redor de se infectarem com essa perigosa doença.

Quer fazer exames com segurança e eficácia? Conte com o Laboratório Exame. Agende ligando pelo telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.

 

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e descubra muitos outros superinteressantes. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram: @labexamearacatuba e Facebook: www.facebook.com/examearacatuba



Saúde do homem - Exames importantes que todo homem deve fazer periodicamente

Exames preventivos são importantes em todas as idades. Seja você uma pessoa ativa, que pratica atividades físicas regularmente ou mesmo uma com a rotina mais tranquila e monótona, saiba que se prevenir é um dever de todos e garante um futuro mais sadio.

Em diversos países, incluindo o Brasil, o índice de cuidados com a própria saúde por parte da população é moderado, porém as pesquisas apontam um nível bem menor de preocupação em relação às doenças entre o público masculino – fator que preocupa as autoridades de saúde. Um ponto bastante comentado em relação a isso é que a maioria dos homens costumam realizar consultas médicas por influência de familiares ou quando sentem sintomas anormais pelo corpo, raramente se atentando sozinho a essa prática.

Outro ponto é que campanhas públicas e privadas do Brasil, como Outubro Rosa e Novembro Azul, costumam receber maior adesão do público feminino, resultando em números alarmantes para a parcela masculina da população nacional. É estimado que os casos de câncer de próstata em território brasileiro sejam descobertos em estágios avançados por cerca de 35% dos homens. Muitos médicos acreditam que o fator cultural seja o principal impeditivo nesses casos, uma vez que é bastante comum ouvir pessoas dizendo o quanto se importam mais com a saúde de amigos e membros da família do que com a sua própria.

Sabemos que, além da genética, os hábitos exercem grande influência em nossas vidas. Sendo assim, adotar práticas saudáveis aliadas ao acompanhamento médico se torna a principal receita para a longevidade e maior qualidade de vida no futuro.

Precisamos mudar essa cultura, para todos entenderem que prevenção não é uma necessidade exclusiva das mulheres.

 

A importância da prevenção na saúde

A prevenção é importante por colaborar com uma série de benefícios, já que realizar exames de rotina e se atualizar sobre os sintomas relacionados às doenças permite que diagnósticos precoces sejam feitos e também que o tratamento correto seja aplicado a tempo. É possível também que os exames revelem tendências hereditárias ou predisposições a doenças como hipertensão, colesterol alto e diabetes, entre outras. Fique atento!

 

Exames importantes que todo homem deve fazer periodicamente

Para te ajudar nesse processo, traremos dicas de como começar essa nova rotina. Comece agora mesmo a se cuidar melhor e crie um roteiro. Em breve esses hábitos estarão presentes em seu cotidiano de forma natural e você começará a incentivar as pessoas ao seu redor para fazerem o mesmo.

Selecionamos alguns exames clínicos e laboratoriais que os homens devem realizar periodicamente, confira a seguir:

 

1. Exame de próstata

Esse é um dos exames mais temidos e que se tornou um tabu para os homens, mesmo sendo um dos mais necessários. O exame de toque segue sendo muito eficaz na realização de diagnósticos precoces do câncer de próstata.

O exame de toque aliado ao exame PSA (Prostate-Specific Antigens, ou antígenos específicos da próstata em português) servem para detectar precocemente casos de câncer de próstata e até mesmo outras condições, como a hiperplasia prostática benigna e a prostatite. 

O ideal é que homens a partir dos 40 anos comecem a realizar o exame quando há fatores de risco. Caso não haja sinais da doença, os exames podem começar a partir dos 50 anos.

 

2. Níveis de colesterol

Doenças cardiovasculares se desenvolvem nos homens com mais facilidade e um aliado dessas doenças é o colesterol. Sendo assim, é recomendado que os homens realizem exames que identifiquem os níveis de colesterol regularmente. Um simples exame de sangue é capaz de identificar tais níveis.

 

3. Teste de glicemia

Muitas pessoas descobrem que tem diabetes após a doença atingir um grau muito avançado no organismo, já que a mesma não possui sintomas severos e pode acabar passando despercebida,

O mesmo exame de sangue que revela os níveis de colesterol consegue identificar também a glicemia (açúcar) no sangue e realizar um diagnóstico precoce. Após os 20 anos é recomendado realizar, ao menos, um exame de sangue por ano.

 

4. Detecção de DSTs

Pessoas sexualmente ativas, mesmo estando em um relacionamento estável, devem realizar exames de sangue com frequência para identificar possíveis doenças transmissíveis, tal como a Hepatite C e o HIV. Tanto homens quanto mulheres devem se atentar bastante a esse tópico, tomando sempre as medidas mais seguras durante as relações íntimas.

 

5. Colonoscopia

A partir dos 50 anos é ideal que os homens realizem a Colonoscopia, procedimento que busca identificar feridas e outros sinais que possam diagnosticar câncer no reto ou no intestino grosso. O procedimento analisa em detalhes a saúde da mucosa intestinal com o auxílio de um tubo óptico. A introdução do tubo é feita no reto

Caso haja casos de doenças semelhantes na família, é recomendado que o exame seja feito antes mesmo dos 50 anos.

 

6. Exame oftalmológico

Para além dos óculos de grau, os exames oftalmológicos de rotina são essenciais para a vida de qualquer pessoa, da infância até a terceira idade. Existem doenças que são diagnosticadas apenas pelo oftalmologista como descolamento da retina, glaucoma, catarata, hipertensão ocular, etc.

Fique sempre atento ao histórico familiar e aos sintomas que podem surgir durante os anos.

Exames preventivos podem diagnosticar uma série de doenças. Realizando esses exames regularmente, o público masculino pode conquistar uma vida mais longa, feliz e saudável. Pesquisas apontam que os homens brasileiros vivem, em média, alguns anos a menos que as mulheres e apresentam maior incidência de algumas doenças. Esses dados reforçam a importância de uma maior atenção com a saúde do homem, um bem que será feito não só para ele, mas também para toda a comunidade.

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e descubra muitos outros assuntos superinteressantes. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram Facebook.

E lembre-se, conte sempre com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia e qualidade. Caso queira agendar o seu, ligue para o telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.

 



Acompanhamento pré-natal e exames gestacionais para uma gestação saudável

A gravidez é um momento mágico que requer muito cuidado e uma atenção especial. Assim que qualquer mulher descobre que está em gestação, é necessário tanto para sua saúde, quanto para a da criança seguir uma rotina de consultas e exames para que todo o trajeto seja perfeito, e isso é chamado de pré-natal.

O acompanhamento pré-natal é essencial durante a gestação, pois ele é uma forma de supervisionar tudo o que está acontecendo com o bebê e sua mãe, identificando e evitando assim eventuais problemas, além de proporcionar um período muito mais seguro e saudável.

Muitas mães ficam bastante preocupadas com esse momento, por isso nós fizemos esse artigo para tirar algumas dúvidas sobre o acompanhamento pré-natal e quais exames gestacionais devem ser feitos para uma gestação saudável, confira.

 

Com que frequência devo ir ao médico durante o pré-natal?

De acordo com o Ministério da Saúde a gestante deve visitar o médico no mínimo seis vezes durante a gestação, contudo, muitos profissionais da área acabam fazendo um acompanhamento maior e com mais visitas para garantir o melhor.

O número de consultas geralmente varia de acordo com cada médico e com as características de cada gestante. Contudo, o mais comum é que a gestante visite o seu obstetra pelo menos uma vez ao mês nos sete primeiros meses, duas vezes no oitavo e todas as semanas no nono.

 

Quais exames são os exames gestacionais feitos no pré-natal?

         Bem, durante o pré-natal são realizados diversos exames diferentes para identificar como está saúde da mãe e do bebê, além de identificar eventuais problemas.

         Tenha em mente que a gravidez é uma situação única para cada mãe, afinal cada pessoa possui suas características pessoais e por isso, em cada pré-natal podem ser exigidos pelos médicos exames diferentes dos listados aqui.

 

Exames Iniciais

 

Sangue

O primeiro exame a ser realizado assim que é descoberta a gravidez, é o exame de sangue. A partir dele é possível:

·      Identificar qual é o tipo sanguíneo da gestante (essencial para identificar o fator Rh caso seja negativo);

·      Identificar se possui anemia;

·      Identificar se corre o risco de contrair doenças como rubéola, citomegalovirose e toxoplasmose;

·      Identificar infecções como Hepatites A, B e C, HIV, sífilis, etc;

·      Dosar os hormônios e anticorpos da tireoide.

Além disso, a partir desse exame é possível realizar uma pesquisa de trombofilias congênitas, que ajuda a prevenir o nascimento prematuro e alertar para doenças hipertensivas que podem surgir durante o período de gestação.

 

Urina

         Assim como o de sangue, o exame de urina é um dos primeiros a serem realizados. Ele é essencial para detectar eventuais  infecções urinárias, além de ser ótimo para auxiliar no acompanhamento de gestantes diabéticas.

 

Fezes

         Esse exame auxilia a encontrar possíveis parasitas no intestino que podem provocar problemas como a anemia.

 

Da 5ª a 8ª semana de gestação

 

Ultrassom Intravaginal

         Com a realização dessa ultrassonografia é possível ouvir os batimentos cardíacos do embrião, visualizar o embrião e o saco gestacional, além de auxiliar a identificar o tempo de gravidez e provável data do parto.

 

Da 11ª a 14ª semana de gestação

 

Translucência Nucal

         Esse exame tem como objetivo medir a espessura do fluído que fica entre a pele e a gordura da nuca do feto.

A partir dos resultados é possível:

 

·      Medir o bebê.

·      Atestar a sua vitalidade através dos batimentos cardíacos.

·      Identificar quais são as probabilidades do feto possuir alguma anomalia, como a principal identificada pelo exame, Síndrome de Down.

·      Verificar se o bebê possui alguma alteração cromossômica, a partir da ausência do osso nasal.

·      Identificar sinais de possíveis problemas cardíacos através da observação do ducto venoso.

 

Da 20ª a 22ª semana de gestação

 

Ultrassom Morfológico

         Essa ultrassonografia permite que os médicos possam analisar os órgãos do bebê. Geralmente, nela também já é possível identificar qual é o sexo da criança.

 

Da 24ª a 28ª semana de gestação

 

Triagem para Diabetes Gestacional

         Também conhecido como curva de tolerância glicêmica ou teste oral de tolerância à glicose, com esse exame é possível identificar se a mãe desenvolveu a diabetes gestacional durante a gravidez. Se sim, será necessário que a paciente tome alguns cuidados especiais.

         O exame é realizado em laboratório, no qual a gestante bebe um copo de glicose e logo após é submetida a algumas coletas de sangue, que por sua vez serão analisadas para a obtenção de resultados.

 

Da 34ª a 37ª semana de gestação

 

Triagem para Estreptococo Beta-Hemolítico

         Esse exame é feito a partir da análise laboratorial de uma coleta de uma amostra de secreção vaginal da gestante e outra do reto. Através da análise é possível identificar infecções causadas pela bactéria estreptococo do grupo B, que pode acabar sendo transmitida para a criança durante o nascimento, provocando diversas complicações e até mesmo a morte.

 

Ultrassom do Teceiro Semestre

         Com essa ultrassonografia é possível:

·      Verificar o tamanho, peso e posição do bebê;

·      Avaliar a maturidade da placenta;

·      Avaliar a quantidade de líquido amniótico.

 

Situações especiais

A gravidez pode exigir cuidados diferentes para cada mulher, diversos aspectos podem interferir na gestação, como:

·      Gravidez após os 35 anos de idade;

·      Doenças hereditárias;

·      Doenças como diabetes ou hipertensão;

·      Doenças prévias, como câncer ou lúpus, por exemplo;

·      Gestação de múltiplos.

Quando a gestante possui alguma dessas características ou outras, é necessário a realização de um pré-natal ainda mais minucioso e cuidadoso. Por isso, provavelmente serão feitas mais consultas e consequentemente exigidos exames específicos adicionais. Alguns deles são:

 

Teste de Coombs

         A partir do exame de sangue feito no início do pré-natal é possível identificar se o fator Rh da mãe é negativo. Esse teste, também realizado por exame de sangue, revela se ouve contato entre o sangue da mãe e o do bebê, para que então possa ser iniciado o tratamento para evitar prejuízos ao feto.

         Esse tratamento deve ser realizado, pois a incompatibilidade sanguínea pode causar a eritroblastose fetal, que é uma situação na qual o corpo da mãe destrói as hemoglobinas do feto, podendo levar à morte.

 

Da 11ª a 14ª semana de gestação

 

Biópsia de Vilo Corial

         Esse exame geralmente é indicado pelos médicos quando existe a suspeita de alterações cromossômica no bebê, como pode ser identificado no exame de Translucência Nucal.

         O exame apresenta um pequeno risco de provocar aborto na gestante, pois é realizado a partir da amostra da placenta, que é coletada do abdômen da mãe, por meio de uma agulha.

 

A partir da 12ª semana de gestação

 

Ultrassom Transvaginal

         Quando a mulher apresenta uma gestação com grandes riscos de prematuridade é ideal a realização dessa ultrassonografia, pois através dela é possível identificar as condições do colo do útero.

         Caso identificada alguma possibilidade de rompimento, o médico avalia a possibilidade de realizar a cerclagem uterina.

 

Da 18ª a 24ª semana de gestação

 

Teste da Fibronectina Fetal

         Assim como o ultrassom transvaginal, esse teste avalia quais são as chances do nascimento do bebê ser prematuro. É realizado a partir da análise de secreção vaginal.

 

A partir da 28ª semana de gestação

 

Ecocardiograma Fetal

         Geralmente esse exame é exigido em situações onde o feto possua maior probabilidade para o desenvolvimento de anomalias cardíacas, quando é constatada alteração cromossômica, ou quando a mãe possui alguma malformação congênita do coração. Com esse exame é possível observar detalhadamente o funcionamento do coração do feto.

 

Perfil Biofísico Fetal

         Esse exame é exigido quando existe alguma suspeita do bebê estar com o desenvolvimento comprometido. A partir dele é possível avaliar:

·      A reatividade da frequência cardíaca;

·      Os movimentos respiratórios;

·      Os movimentos dos membros;

·      O tônus muscular;

·      O volume do liquido amniótico.

 

 

Durante toda a sua gestação, cuide bem da sua saúde e a do seu filho, faça o pré-natal desde o início. Lembre-se que você pode contar com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia e qualidade.



Qual é a importância de fazer um check-up?

Ter uma vida saudável requer muito mais atitudes do que apenas manter uma boa alimentação e a prática de exercícios físicos. Claro, que ambos ajudam e muito a mantê-la, contudo, sozinhos não são suficientes para manter um alto nível de qualidade de vida e a saúde em dia.

Os cuidados com a saúde estão em cada detalhe. Um dos passos mais importantes para manter a saúde em dia é a realização periódica de consultas e exames médicos. Essa visita de rotina possui um nome, são os famosos check-ups.

Através do Check-up é possível aumentar ainda mais a sua qualidade de vida, mas claro, ele oferece muitos outros benefícios, por isso no artigo de hoje iremos te explicar o que é e qual é a importância de fazer um check-up. Confira.

 

O que é um Check-up?

O check-up, nada mais é do que uma avaliação médica de rotina, na qual são realizados exames específicos, levando em consideração diversas características pessoais do paciente, como sua idade, sexo, histórico familiar, etc.

 

Como o check-up interfere efetivamente na saúde do paciente?

O check-up atua na vida do paciente de forma preventiva. Ou seja, através dele é possível identificar alterações no organismo, problemas e/ou doenças. Muitas delas podem não apresentar nenhum tipo de sintoma, por isso só são detectadas através da realização de exames periódicos que avaliam o seu organismo.

 

Quais são os benefícios de realizar um check-up?

Obter um diagnóstico precoce é um ponto chave para obter sucesso no tratamento da maior parte das doenças, e aí está a importância da realização do check-up.

Ele auxilia na prevenção de doenças, possibilitando a busca por informação em estágios não avançados ou evoluídos da doença, além da possibilidade de realizar ações preventivas para amenizar as chances de adquirir doenças ou piorar o quadro de alguma.

Dentre essas ações estão as vacinações, uma dieta equilibrada, criar uma rotina de exercícios físicos, orientação para hábitos mais saudáveis como deixar de fumar ou de ingerir bebidas alcoólicas.

 

A importância de fazer um check-up

Já deu para perceber o quão benéfico o check-up pode ser para a sua saúde. Mas claro, que eles vão muito além disso.

 

Trate sua saúde como prioridade

Saúde não tem preço. Essa é uma máxima que você muito provavelmente já ouviu falar e que todos devemos levar muito a sério. Sim, esse é um fato, saúde realmente não tem preço, ela é o nosso principal bem. Por isso, fazer um check-up com certa frequência é ter uma responsabilidade consigo mesmo, é demonstrar autocuidado e preocupação com a sua saúde.

Diversos benefícios vêm a partir da realização de um check-up. Quando temos a saúde em dia, ficamos mais propensos a ter uma redução de estresse, ansiedade e nos focamos mais no presente e até traçamos com mais vigor metas e planos para o futuro, tendo em mente uma saúde em dia.

 

Previna doenças

Como já citamos, muitas vezes nosso corpo não dá sinais de que algo está errado. Existem diversas doenças que são assintomáticas, ou seja, que não apresentam quaisquer sintomas visíveis ou aparentes. Isso não significa que ela não está agindo e afetando o seu organismo. Por isso, a realização de um check-up é mais do que essencial para identificar doenças como essas e iniciar o tratamento da forma mais rápida possível.

Qualquer doença, independentemente de seu tipo, possui mais chances de ser tratada a partir de um diagnóstico precoce. Identificando-as em um estágio inicial os tratamentos são muito mais eficazes e potentes, oferecendo ao paciente maiores chances de obter sucesso e ser curado.

 

Conheça seu histórico familiar

Outro ponto que muitos desconhecem é que, diversas doenças podem ser passadas devido a própria genética. Conhecer o histórico de saúde dos membros da sua família, é mais do que importante e pode até mesmo ser o primeiro passo para a prevenção e detecção de doenças em seu estágio inicial.

Alguns exemplos são pessoas que na família possuem casos de doenças cardiovasculares, câncer e diabetes, estão mais propensas a desenvolverem essas enfermidades. Daí surge a importância da realização de um check-up. A partir dele as doenças serão descobertas logo no início e os tratamentos terão muito mais chances de sucesso.

 

Redobre os cuidados ao atingir uma idade avançada

Independente da idade, é essencial manter o cuidado com a saúde e se prevenir. Contudo, com ao começar a entrar na idade mais avançada, mais especificamente aos 40 anos, a prevenção se torna ainda mais essencial. Isso acontece, pois com o passar dos anos o corpo passa por transformações que mudam nosso organismo, deixando por exemplo nosso sistema imunológico mais vulnerável, nossa capacidade de recuperação mais lenta e esses dois pontos tornam mais propício o surgimento de outras doenças.

Por isso, ao chegar aos 40, os cuidados devem ser redobrados. Eles se tornam essenciais para que você chegue na terceira idade com saúde e tenha uma boa qualidade de vida. Nesse momento, uma boa opção é procurar por um bom geriatra, pois ele é um tipo de médico focado na prevenção e tratamentos de doenças que estão associadas a idade.

 

Cuidados especiais para mulheres

As mulheres possuem características específicas em seus corpos que requerem atenção e cuidados redobrados. Uma das características que mais necessitam de cuidados especiais é o sistema reprodutivo.

Para que sejam identificadas doenças previamente e as doenças sejam tratadas com eficácia, anualmente devem ser realizados alguns exames:

·      Mamografia – tem como objetivo avaliar as alterações nas glândulas mamárias. Este é recomendado para mulheres acima dos 40 anos de idade, contudo aquelas que possuem histórico de doenças na família, devem começar aos 30.

·      Papanicolau – tem como objetivo identificar alterações no colo do útero;

·      Ultrassom endovaginal – tem como objetivo a avaliação detalhada dos órgãos presentes na região pélvica;

 

Quais são os exames realizados em um check-up?

Diversos exames podem ser realizados em check-ups, isso vai depender de cada organismo e das necessidades que o seu médico identificar, contudo os mais comuns de serem realizados são:

·      Colesterol e Glicemia – proporciona a análise da concentração de gorduras e açúcares presentes na circulação sanguínea;

·      Eletrocardiograma – avalia o sistema cardiovascular através do uso de eletrodos;

·      Hemograma – avalia o estoque de células vermelhas e brancas no organismo através do exame de sangue;

·      Mamografia – avalia a situação das glândulas mamárias.

·      Ultrassom – avalia a situação dos órgãos e tecidos do corpo.

Claro, esses não são os únicos exames solicitados em um check-up, como citamos acima, são os mais comuns. Contudo, o seu médico irá avaliar o seu estado e as suas características e avaliar a necessidade de indicar e solicitar a realização de exames mais específicos u até mesmo o encaminhamento para outro especialista.

 

Com esse artigo você conseguiu entender qual é a importância de fazer um check-up. Através dele é possível prevenir doenças com eficácia, identificar doenças previamente e realizar tratamentos com mais eficientes. Por isso, realize o check-up regularmente.

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e descubra muitos outros super interessantes. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram e Facebook.

E lembre-se, conte sempre com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia e qualidade. Caso queira agendar o seu, ligue para o telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.

 



Dengue: Sintomas, tratamento e prevenção

A Dengue é uma doença séria que já infectou milhares de pessoas ao redor do mundo, inclusive no Brasil. De acordo com o Ministério da Saúde, em dados divulgados em 2019, em apenas um ano foram registrados um total de 1.439.471 casos da doença no país. Um aumento surpreendente e alarmante de aproximadamente 600% em relação a dados do mesmo período do ano de 2018.

É extremamente importante se conscientizar sobre a causa e entender a importância de combater essa doença, afinal é uma causa de todos. No artigo de hoje explicamos quais são os sintomas, tratamento e prevenção da dengue para que possamos fazer a diferença juntos, confira.


O que é e como é transmitida a Dengue?

 A Dengue é uma doença aguda causada por um arbovírus, que são vírus transmitidos por picadas de insetos. O inseto responsável pela transmissão é o mosquito Aedes Aegypti, que vive em áreas tropicais e subtropicais, que necessita de água parada para a proliferação.

A doença aguda e febril causada pela picada do Aedes Aegypti é um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. Todas as faixas etárias estão suscetíveis a contrair dengue, contudo as pessoas idosas possuem maior risco de desenvolve um tipo de dengue grave, que pode levar a morte.


Quais são os sintomas da dengue?

O vírus da Dengue possui quatro variações, sendo elas: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Todos os tipos se manifestam com os mesmos sintomas, contudo eles podem evoluir para casos mais graves da doença.

A reincidência de contração da dengue aumenta os riscos do desenvolvimento das formas mais graves da doença, por isso a prevenção é mais do que necessária.

A Dengue pode se manifestar de diversas formas, sendo: assintomática (ou seja, sem qualquer manifestação de sintomas), como a Dengue Clássica, Dengue Hemorrágica ou a Síndrome do Choque da Dengue. 


Dengue Clássica

É muito comum que os sintomas da Dengue Clássica, que é o tipo mais leve da doença, sejam confundidos com os sintomas da gripe, por isso é necessário estar muito atento a quaisquer sintomas duradouros.

Para ser considerado um caso suspeito de Dengue, é necessário que o paciente apresente febre alta (39° ou 40°C) com duração de três a cinco dias, acompanhada por alguns dos seguintes sintomas:

·      Dores de cabeça;

·      Cefaléia;

·      Dores no fundo dos olhos;

·      Dores Musculares;

·      Dores nas articulações;

·      Fraqueza;

·      Exantema (erupção cutânea);

·      Sangramento;


Dengue Hemorrágica

Após a fase febril da doença, que dura uma média de três a cinco dias, se a pessoa não for curada, o caso pode evoluir para a forma grave da doença, se tornando a Dengue Hemorrágica, que  se não for tratada com rapidez pode levar à morte.

A Dengue hemorrágica é mais comum quando o paciente é infectado pela segunda ou terceira vez. Seu estágio inicial é muito parecido com os da Dengue Clássica, e somente após o terceiro dia infectado começam a surgir as hemorragias, que são causadas pelo sangramento de pequenos vasos, tanto na pele quanto em outros órgãos.

Além disso, uma pessoa com Dengue Hemorrágica pode apresentar sintomas como:

·      Dores abdominais intensas;

·      Enjoos e vômitos persistentes;

·      Queda da pressão arterial;

·      Fígado aumentado;

·      Sangramento das mucosas (nariz, gengivas, ouvidos, etc);

·      Sonolência;

·      Agitação;

·      Confusão mental;

 

Síndrome do Choque da Dengue

Nos casos mais graves, a dengue evolui para a Síndrome de Choque da Dengue, que se caracteriza pela grande queda ou ausência de pressão arterial, devido a perca crítica de volume de plasma.

Os sintomas que podem ser causados pelo choque são:

·      Pulsação rápida ou fraca;

·      Diminuição drástica da pressão;

·      Extremidades Frias;

·      Pele pegajosa;

·      Agitação;

·      Irritabilidade

·      Convulsões;

O período de duração da Síndrome de Choque da Dengue é curto, podendo levar ao óbito em até 12 ou 24 horas, mas sua recuperação também pode ser rápida, após uma terapia apropriada antichoque.

 

Por isso, é extremamente importante que ao sentir qualquer um dos sintomas de qualquer tipo de Dengue procure o médico mais próximo para fazer uma consulta e iniciar o tratamento de forma rápida, evitando assim quaisquer complicações.

 

Qual é o tratamento para a dengue?

Não existe um tratamento específico para matar o vírus da dengue. Ao contrair a doença, o indicado pelos médicos é a hidratação e o tratamento sintomático. O tratamento sintomático utiliza medicamentos específicos para tratar os sintomas provocados pela doença, e não a doença em si.

Nos casos mais leves da doença a recomendação é fazer bastante repouso e se hidratar, ingerindo bastante líquido, como água, sucos naturais ou água de coco.

O importante é que, independente do estágio da doença, você deve procurar um médico para que ele te indique os procedimentos e eventuais remédios a serem tomados, ou em casos mais graves encaminhar o paciente para uma interação.

 

Como é feito o diagnóstico da Dengue?

A Dengue pode ser diagnosticada através dos seguintes exames:

·      Contagem de plaquetas;

·      Eletrólitos (sódio e potássio);

·      Enzimas do fígado;

·      Hematócrito;

·      Testes de coagulação;

·      Testes sorológicos.

 

Métodos de prevenção da Dengue

Existem diversas formas de prevenir e combater a proliferação do mosquito da dengue, por isso separamos as principais para que você contribua nessa luta.

 

Evite água parada

O Aedes Aegytpti, mosquito responsável pela transmissão da dengue coloca os seus ovos em água limpa, mas ela não precisa necessariamente ser potável. Por isso, é extremamente importante evitar qualquer acúmulo de água parada em sua residência.

Jogue fora pneus velhos, deixe garrafas, vasilhas, potes e baldes virados com a boca para baixo, não deixe poças e água em seu quintal por muito tempo, cubra-as com terra ou faça a drenagem do terreno, lave constantemente a vasilha de água de seus animais de estimação.

 

Garrafas

Todas as garrafas, tanto as PET, quanto de vidro, devem ser embaladas e descartadas corretamente na lixeira, em local coberta e de boca para baixo, evitando assim o acúmulo de água.

 

Recipientes de Armazenamento de Água

Tampe bem a sua caixa d’água e lave periodicamente com água e sabão as paredes internas dela, de poços, tambores, tonéis, filtros ou qualquer outro recipiente no qual você armazena água em casa.

 

Pratos de Vasos de Plantas

Coloque areia fina até a borda dos seus pratinhos dos vasos de planta para evitar com que a água se acumule.

 

Potenciais objetos acumuladores de água

Evite o acúmulo de vasilhas, tampinhas de garrafas, cascas de ovo, latinhas, sacos plásticos, embalagens plásticas ou de vidro, copos descartáveis e quaisquer outros objetos que são potenciais acumuladores de água. Caso tenha, mantenham sempre em local coberto, longe da água e guarde-os de uma maneira com que não acumulem a água, como mantendo-as garrafas e vasilhas com a boca virada para baixo.

 

Pneus velhos

Não guarde pneus velhos em seu quintal. Entregue-os para o serviço de limpeza urbana da sua cidade. Caso precise guardá-los, escolha um local coberto e verifique constantemente se não há água parada.

 

Vasos sanitários

Em banheiros pouco utilizados em sua casa, deixe a tampa sempre abaixada e dê a descarga pelo menos uma vez por semana.

 

Geladeira

Lave com água e sabão periodicamente a bandeja externa da geladeira e retire sempre a água acumulada.

 

Decorações de quintal

Sempre faça a limpeza de lagos, cascatas, fontes e espelhos d’água decorativos. Caso tenha algum desses, uma boa opção é criar peixes nesses locais, pois eles se alimentam das larvas dos mosquitos.

 

Bebedouros de animais de estimação

Lave e troque a água pelo menos uma vez na semana do bebedouro dos seus animais de estimação.

 

Calhas e Lajes
Limpe com frequência as calhas e lajes da sua casa.

 

Muros

Caso tenha cacos de vidro em seu muro, coloque areia nos quais possam acumular água das chuvas.

 

Piscina

Mantenha sempre a água da piscina limpa e tratada com cloro. Limpe pelo menos uma vez por semana e se não for utilizá-la, evite cobrir com lonas ou plásticos, pois eles podem acumular água.

 

Quintal

Mantenha sempre o seu quintal limpo. Recolha todo o lixo e detritos que estejam espalhados pelo quintal ou ao redor da casa. Mantenha sempre as lixeiras e latões fechados.

 

Lixo

Não descarte o seu lixo de forma imprudente. Evite jogá-lo em construções abandonadas, terrenos baldios ou praças. Embale bem todos os recipientes que possam acumular água antes de descartá-los.

 

Como dissemos a Dengue é uma doença série que pode levar uma pessoa à morte. O combate à Dengue é uma luta na qual todos devemos nos unir e colaborar, a ação de cada um pode fazer a diferença e ajudar a salvar milhares de vidas.

Faça a sua parte, pesquise mais sobre o tema e leve informações e conhecimento as pessoas que convivem com você. Colabore com essa causa. Você pode começar compartilhando esse artigo.

 

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e descubra muitos outros super interessantes, clique aqui. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram: @labexamearacatuba Facebook: /examearacatuba

E lembre-se, conte sempre com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia e qualidade. Caso queira agendar o seu, clique aqui.



Existe algum tipo de alimento que pode atrapalhar o tratamento do câncer?

A alimentação é um ponto que deve ser levado a sério por todas as pessoas, afinal ela interfere diretamente em nossa saúde. Por exemplo, é comprovado que uma dieta pobre em frutas, legumes, verduras e com o excesso de alimentos gordurosos e ultraprocessados podem fazer mal para o organismo e interferir na qualidade de vida.

Ao realizar o tratamento do câncer, muitos pacientes e seus familiares sentem dúvidas em relação a alimentação, pois tem medo de que determinados alimentos possam interferir no tratamento. Por isso no artigo de hoje iremos te responder se existe algum tipo de alimento que pode atrapalhar o tratamento do câncer, confira.

Algum alimento específico pode realmente atrapalhar o tratamento do câncer?

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Harvard, nos Estados unidos, o aminoácido leucina pode atrapalhar o tratamento do tipo mais comum de câncer de mama.

A leucina é uma substância que atua na manutenção das células do corpo e auxilia na saúde dos músculos. Está presente em diversos alimentos como carnes, leites e proteínas vegetais.

Os cientistas responsáveis pelo desenvolvimento da pesquisa, realizaram testes em células isoladas no laboratório, e a partir dos resultados, descobriram que ao aumentar os níveis de leucina em conjunto com um tipo específico de tratamento intensificava o crescimento do câncer de mama, agravando o caso. Contudo, foi observado que a restrição desse nutriente suprimia a atividade maligna da doença.

Esse comportamento da leucina foi observado em um tumor de mama com receptor de estrogênio, subtipo que corresponde a quase 70% dos casos dessa doença.

A ideia é que através da descoberta obtida com a pesquisa seja utilizada para o desenvolvimento de remédios que sejam capazes de bloquearem a ação da leucina nos tumores.

Contudo a pesquisa ainda não se encerrou. O grupo de cientistas responsáveis está estudando quais são os efeitos no organismo ao cortar alimentos que contenham leucina da dieta, se isso traz algum tipo de benefício ao corpo ou tratamento.

Apontamentos a respeito da pesquisa

Patrícia Jucá, Oncologista e Mastologista da unidade especializada nas mamas do Instituto Nacional do Câncer (INCA) diz “A relação entre leucina e resistência ao tratamento do câncer de mama com receptor de estrogênio não está bem estabelecida. Os estudos são preliminares, com experimentos realizados em cultura de células e camundongos”.

Ou seja, a ligação ainda pode ser distante quando aplicado em seres humanos. De acordo com especialistas, ao tratar um câncer, é necessário manter uma boa dieta. A hipótese de tirar leucina da alimentação, é retirar proteínas importantes da alimentação, o que ocasiona a perda de massa muscular e força, o que de fato pode prejudicar o paciente e o tratamento dele contra o câncer.

Afinal, quais alimentos devem ser evitados no tratamento do câncer?

Não existe nenhum estudo comprovado sobre alimentos que interfiram de fato no tratamento do câncer, contudo essa doença é severa e o tratamento causa um grande impacto no organismo, por isso a alimentação deve ser extremamente balanceada para que o paciente se mantenha forte durante o processo.

 A falta de apetite é um sintoma associado ao tratamento contra o câncer, e isso pode levar a desnutrição. Por isso, é ideal para uma boa recuperação que o paciente mantenha seu peso e garanta uma ingestão adequada de nutrientes em sua dieta, consumindo frutas, verduras e legumes, isso o ajuda a fortalecer seu organismo.

Mesmo não existindo alimentos que atrapalhem diretamente o tratamento, alguns tipos de alimentos que devem ser deixados de lado para uma melhor recuperação, são eles: 

Alimentos ultraprocessados

Esse tipo de alimento geralmente possui excesso de sal, açúcar e substâncias como nitrito e nitrato, que são bastante prejudiciais à saúde do paciente. Além disso, esses alimentos podem aumentar a obesidade e gordura visceral, que são considerados fatores de risco para doenças como o câncer de mama, o que consequentemente atrapalha o tratamento.

Alimentos feitos sob fritura

Muitos alimentos, quando expostos ao óleo quente e gorduroso, como acontece no processo de fritura, podem liberar substâncias potencialmente cancerígenas, além disso o próprio óleo pode formar uma substância cancerígena chamada acroleína.

Outro ponto é que os alimentos feitos sob fritura podem provocar quadros de colesterol e de doenças ainda mais graves como infartos ou AVC. Por isso, devem ser evitados.

 Alimentos Açucarados

O excesso de ingestão de açúcar pode provocar doenças como obesidade, que está ligada a alguns tipos de tumores na mama e no trato digestivo. Além disso essa substância pode danificar estruturas celulares do organismo.

 Bebidas alcoólicas

O excesso de bebidas alcoólicas está relacionado ao surgimento de tumores na mama, na cavidade oral e no fígado, por isso o recomendado é que ao realizar um tratamento de câncer, evite esse tipo de bebida. Além disso, caso o paciente possua algum tipo de ferida ou machucado na boca, garganta, ou trato digestivo, pode ser que o álcool agrave essa situação.

 O melhor método de ter uma alimentação com todos os nutrientes necessários para a saúde durante um período como o tratamento do câncer é com ajuda profissional, por isso procure também um nutricionista para te auxiliar nessa jornada.

Contudo, fazendo essas restrições alimentares você já está a um passo de ter uma alimentação mais saudável e que ajuda a manter o seu corpo e organismo forte durante o tratamento de câncer. Além disso, evitar esses alimentos te ajuda a evitar várias doenças crônicas como a diabetes e hipertensão.

Mantendo uma alimentação regrada, sem esses itens no cardápio você também reduz as chances de uma recidiva, ou seja, surgimento de um novo câncer e melhora a sua qualidade de vida.

Quer mais dicas para cuidar da sua saúde e prevenir o câncer de mama? Confira nossos artigos:

·      Saúde da mulher: exames importantes que devem ser realizados periodicamente·      Qual é a importância de fazer um Check-up?

 

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e descubra muitos outros superinteressantes. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram e Facebook.

E lembre-se, conte sempre com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia, segurança e qualidade. Caso queira agendar o seu, ligue para o telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.

 

Fonte: Veja Saúde 



Agosto Dourado - A importância do aleitamento materno

1° de agosto é o Dia Mundial da Amamentação, foi a partir dele que surgiu a Semana Mundial do Aleitamento Materno, celebrada dos dias 1 a 7 de agosto, que tem como objetivo reforçar a importância do leite materno para a saúde de crianças e mamães. No Brasil foi criado o Agosto Dourado para que essa mensagem seja reforçada durante todo o mês. Por isso, no artigo de hoje iremos falar sobre o Agosto Dourado e a importância do aleitamento materno, confira.

 

O que é agosto dourado?

O Agosto Dourado foi criado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), com base na celebração da Semana Mundial do Aleitamento Materno. O intuito do mês é o mesmo da semana, utilizar todos os dias de agosto para incentivar e estimular a amamentação, além de reforçar a importância e benefícios do aleitamento materno na vida dos bebês e suas mães.

A cor escolhida para representar a campanha foi dourado, que simboliza um “padrão ouro de qualidade”, ou seja, representa que o leite materno é um dos melhores e mais qualificados alimentos para uma criança.

A data possui um objetivo tão importante que foi sancionada uma lei federal para oficializar o mês de agosto como “Agosto Dourado”.

 

O que é o aleitamento materno?

O aleitamento materno é o ato de alimentar uma criança exclusivamente com o leite materno até os 6 meses de idade. Ou seja, até essa idade, o bebê não deve ingerir nenhum outro tipo de líquido ou alimento, nem que seja complementar. Ato recomendado inclusive pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

Qual é a importância do aleitamento materno?

O leite materno é primeiro alimento de qualquer criança. Ele é crucial nos primeiros meses de vida, pois é através de seus benefícios que o corpo se desenvolve e é devidamente fortalecido.

O aleitamento materno, além de ser essencial para a nutrição do bebê, reduz em 13% a taxa de mortalidade de crianças até os 5 anos e previne diversos problemas como: diarreia, infecções respiratórias, diabetes, colesterol alto, hipertensão, alergias. Também ajuda no desenvolvimento da cavidade bucal do bebê e até mesmo colabora para o fortalecimento do vínculo afetivo com a mãe.

Outro ponto importante é que, diferente dos leites que são comercializados em diversos estabelecimentos comerciais, o leite materno possui anticorpos e glóbulos brancos que ajudam a prevenir infecções e doenças, além de claro, contar com todas as proteínas, vitaminas, açúcares, água e gordura necessárias para o desenvolvimento saudável de uma criança.

Esse ato é tão importante e necessário para o crescimento saudável do bebê que a Organização Mundial de Saúde (OMS), recomenda que nenhum pai alimente seu filho com nada que não seja o leite materno até os 6 meses de vida. A partir desse momento é recomendado que a criança consuma outros alimentos complementares, mas que a amamentação continue até os 2 anos de idade.

 

Benefícios da amamentação para os bebês

Acho que já deu para ver o como a amamentação é importante e o tanto de benefícios que ela proporciona, né? Mas para que você saiba mais ainda sobre tudo que ela pode fazer de bom na vida de um bebê, separamos os principais benefícios para você conferir.

·      Proporciona um vínculo afetivo maior com a mãe;

·      Melhora a digestão;

·      Minimiza cólicas;

·      Reduz o risco de doenças alérgicas;

·      Reduz o risco de desenvolver a doença de Crohn e Linfoma;

·      Estimula o desenvolvimento da arcada dentária;

·      Previne problemas na fala;

·      Ajuda a prevenir doenças contagiosas, como por exemplo a diarreia;

·      Ajuda no desenvolvimento da inteligência;

·      Auxilia no crescimento;

·      Claro, auxilia em uma dieta saudável com todos os nutrientes necessários.

 

Benefícios da amamentação para as mães

Muitas mães não sabem disso, mas a amamentação não traz benefícios apenas para as crianças, as mamães também ganham muito com a amamentação. Separamos os principais benefícios que a amamentação oferece para as mães, confira.

·      Proporciona um vínculo afetivo maior com a criança;

·      Ajuda a diminuir o sangramento no pós-parto;

·      Auxilia o útero a voltar ao tamanho normal de forma mais rápida;

·      Reduz as chances de desenvolvimento de câncer de mama, ovário e endométrio;

·      Minimiza as chances do desenvolvimento de osteoporose;

·      Previne contra doenças cardiovasculares, como o infarto;

·      Previne contra doenças como anemia;

·      Auxilia na diminuição da ansiedade;

·      Aumenta a segurança emocional;

·      Auxilia a perda de peso.

 

A amamentação, além de ser um momento mágico, é um dos mais importantes para a criação e o aumento do laço afetivo entre mãe e filho. Claro, ainda mais além, esse momento proporciona benefícios essenciais para a saúde dos dois. Por isso, o Agosto Dourado é um mês de extrema importância. Devemos conscientizar a todos sobre a importância do aleitamento materno na vida de mães e seus filhos.

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e leia muitos outros artigos. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram: @labexamearacatuba e Facebook

E lembre-se, conte sempre com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia e qualidade. Caso queira agendar o seu, ligue pelo telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.

 



A importância de manter exames regulares para a saúde cardíaca

A saúde do coração é o primeiro passo para um corpo mais saudável, isso conta com hábitos saudáveis e o acompanhamento com exames de rotina em dia.

E para alertar sobre a importância da saúde do coração, manifestando os cuidados que devem ser tomados, chega o Setembro Vermelho.

O Setembro Vermelho é uma campanha, que foi criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de informar e ensinar a população a ter um coração mais saudável.

O mês não foi escolhido por acaso, mas sim porque no dia 29 de Setembro acontece o Dia Mundial do Coração, criado pela Federação Mundial do Coração, dia aliás, criado para registrar a importância dos cuidados com a saúde do coração, que tem o objetivo de alertar e conscientizar a população, assim como a campanha o mês todo.

A conscientização previne e com diagnóstico precoce, as chances de evitar as doenças ou melhorar o fato são maiores, além disso exames regulares somados a hábitos saudáveis, podem fazer o coração bater cheio de saúde.

Por isso no artigo de hoje vamos falar mais sobre esse assunto tão importante, confira!

O Coração e as doenças cardiovasculares

O coração é estruturado basicamente por músculos, é o órgão responsável por garantir a circulação de sangue por todo o nosso corpo e também pela distribuição de oxigênio e nutrientes. Ele cuida da frequência cardíaca e da pressão arterial, dois dos principais sinais vitais do corpo.

Doenças Cardiovasculares são enfermidades que afetam o coração ou vasos sanguíneos. A maioria dessas doenças é resultado de problemas crônicos, que ao longo do tempo se desenvolvem.

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. A estimativa é, que anualmente cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem vítimas de problemas cardiológicos, isso representa 31% de todas as mortes no planeta. A cada 3 mortes, 1 é causada por doença cardiovascular.

A principal causa de morte em pessoas de 40 a 65 anos são doenças cardiovasculares e cerca de 20% das mortes em pessoas na faixa etária de 30 anos.

A cada minuto, 1 pessoa morre vítima de doenças cardiovasculares no mundo. No Brasil não é diferente, cerca de 33% dos óbitos no país estão relacionados ao coração. O país aliás, está entre os 10 países com mais mortes causadas por doenças cardiovasculares.

 

Principais Doenças Cardiovasculares

As doenças que mais matam no mundo, relacionadas a problemas no sistema cardiovascular são: Acidente Vascular Cerebral (AVC), Infarto do Miocárdio, Insuficiência Cardíaca e Hipertensão Arterial.

 

Acidente Vascular Cerebral:  o AVC ocorre quando há rompimento ou obstrução de artérias responsáveis em levar oxigênio ao cérebro. Essa falta de circulação sanguínea em determinada área do cérebro, ou seja, sem sangue, os neurônios na região afetada podem morrer, devido falta de nutrientes e ao oxigênio. A hipertensão é a responsável por cerca de 80% dos casos de AVCs.

O AVC, popularmente conhecido como derrame cerebral, é a principal causa de incapacidades físicas e mentais e é a maior causa de morte no Brasil, inclusive a frente dos casos de infartos.

Há 2 tipos de AVC, os Isquêmico, mais comum, quando ocorre obstrução de um vaso sanguíneo e o Hemorrágico, quando há rompimento de algum vaso cerebral.

Sintomas Comuns: Confusão mental súbita; Formigamento, fraqueza ou diminuição da força de um lado do corpo; Dor de cabeça súbita e intensa; Alterações da fala, dificuldades de compreensão e desvio labial; Perda da visão em um dos olhos subitamente; Desmaio.

 

Infarto do Miocárdio: A doença acontece devido a diminuição do fluxo de sangue bombeado do coração para o restante do corpo. Isto é, ocorre um bloqueio do fluxo sanguíneo, com isso o volume é insuficiente para atender todas as necessidades de oxigênio e nutrientes do organismo. E isso pode acarretar em limitações na realização de atividades da rotina.

Os especialistas consideram 5 tipos de infartos com suas características e agravamentos.

Outra coisa é que muitas pessoas usam o termo ataque cardíaco para definir o infarto, porém ele bem mais abrangente, pois várias complicações podem gerar um ataque cardíaco, como uma parada cardíaca.

Sintomas Comuns: Dor no peito, em geral persistente (entre 20-30 minutos); Dor na região próxima a estômago, costas ou braço esquerdo; Formigamento nos membros superiores; Falta de ar; Palidez e Tontura, Suor frio.

Insuficiência Cardíaca: A doença é caracterizada pela diminuição do fluxo de sangue bombeado do coração para o restante do corpo.  Essa incapacidade com baixo volume, torna insuficiente para atender todas as necessidades de oxigênio e nutrientes do organismo.  Há dois tipos de insuficiência cardíaca: a Sistólica, quando o músculo não consegue bombear o sangue para fora do coração corretamente e a Diastólica, quando os músculos do coração ficam rígidos e não funcionam adequadamente.

Sintomas Comuns: Falta de ar; Inchaço dos pés e pernas; Palpitações; Tosse seca; Cansaço excessivo.

Hipertensão Arterial: A conhecida pressão alta é uma doença crônica em que os níveis da pressão alta sanguínea nas artérias são elevados.

A pressão sanguínea é apresentada em milímetros de mercúrio (mmHg) e quando a pressão fica maior ou igual a 14 (máxima) por 9 (mínima), a pessoa é considerada hipertensa. A pressão alta é o risco para outras doenças cardiovasculares ou renais. O ideal é que a pressão sanguínea seja de 12 por 8.

A doença afeta homens e mulheres, principalmente após os 60 anos, quando a proporção de casos é maior que 50% da população. No Brasil, 1 em cada 4 pessoas sofre de hipertensão e infelizmente essa doença é causa de doenças cardiovasculares graves, como AVC e infarto, podendo levar a morte.

Deve-se ficar atento, pois a hipertensão é silenciosa, apresenta alguns sintomas, mas alguns já são sinal de o caso se agravou.

A obesidade está vinculada à hipertensão, assim como o consumo excessivo de sal  em pessoas geneticamente predispostos, que podem alterar e aumentar os valores da pressão arterial.

Sintomas comuns: Enjoo; Dor de cabeça; Dor na nuca; Sonolência; Zumbido no ouvido; Pequenos pontos de sangue nos olhos; Visão dupla ou embaçada; Dificuldade para respirar; Inchaço; Palpitações cardíacas.

 Existem também outras doenças cardiovasculares, comuns, mas essas menos letais, como: Arritmia, Angina, Aterosclerose, Doença Vascular Periférica, Miocardite, Endocardite e tumores.

Fatores de Risco

Os principais fatores de risco para os problemas cardiovasculares são: Hipertensão, Diabetes, Dislipidemia, Estresse, Tabagismo, Obesidade, Sedentarismo, doença da Tireoide e histórico familiar, ou seja, predisposição genética. Além disso, o uso de drogas ilícitas, como a cocaína pode levar ao infarto agudo do miocárdio.

Os fatores de riscos comportamentais, ou seja, os maus hábitos podem antecipar ou agravar o aparecimento de doenças cardiovasculares.

Exames de rotina e a prevenção

É muito importante ressaltar a importância da prevenção e isso inclui a realização de exames periódicos para a saúde do coração. Afinal prevenir realmente é melhor que remediar.

A prevenção começa pelo estilo de vida, claro que muitas doenças têm origem genética, mas elas podem ser adquiridas, por isso é recomendado hábitos saudáveis, como: alimentação equilibrada, a prática de atividades físicas, evitar o uso de cigarro e outras drogas, controlar o peso e fazer visitas regulares ao médico e assim exames, um checkup anual.

As campanhas e ações educativas tem o objetivo de reduzir o número de doenças cardiovasculares, mortes e assim corações mais saudáveis.

            Se as doenças podem ser evitadas em sua grande maioria apenas com atitudes saudáveis, então por que não as fazer?! Essa é uma mensagem, que deve impactar as pessoas e chegar literalmente a seus corações.

É necessário ficar atento ao nível de colesterol, pressão alta, que são perigosos e silenciosos e claro, adotar uma rotina saudável.

Fazer exames periódicos é fundamental para manter a saúde do coração em dia, essa é uma atitude crucial para verificar a saúde cardíaca.

Inicialmente o Exame de Sangue pode ajudar a identificar o risco de doenças cardiovasculares, nele pode ser observados os níveis: de colesterol, triglicéridies, glicemia, função renal e tireoidiana. O exame mais importante para a investigação cardíaca é o Eletrocardiograma, que revela qualquer anormalidade. Há ainda outros exames, como: raios-x de tórax, Ecocardiograma, Teste Ergométrico, Cintilografia Miocárdica, Cateterismo Cardíaco,  Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA), Holter e Angiotomografia de Coronárias, quando indicados pelos médicos, ajudam a esclarecer e detalhar as doenças cardiovasculares.

Os exames laboratoriais, são exames de fácil realização, de forma simples e rápida, mas são capazes de revelar informações muito importantes.  

Há exames não invasivos, como o Eletrocardiograma e o Ecocardiograma e os invasivos como o Cateterismo Cardíaco, que é mais complexo e demorado, mas que irá indicar mais informações complementares.

O Eletrocardiograma por exemplo apresenta a atividade elétrica do coração, já o Ecocardiograma é uma ultrassonografia, que mostra os problemas nas válvulas, fluxos sanguíneos e paredes do coração. Esses procedimentos são adicionais, isto é, são realizados quando o médico cardiologista acha necessário para análise. Já os exames laboratoriais devem ser feitos com frequência, ou seja, pelo menos uma vez ao ano é ideal que sejam feitos, um checkup mesmo, que deve ser analisado pelo médico.

Se engana quem acha, que não são necessários exames, pois trata-se do coração, um dos sistemas mais complexos do corpo humano e está sujeito a diversos problemas. Aliás, apesar de os problemas cardíacos se manifestarem geralmente na fase adulta, as crianças também estão sujeitas a diagnósticos como: sopro cardíaco ou arritmias.

O checkup cardiológico é muito importante, inclusive para pessoas que irão iniciar prática de atividades físicas, independente de idade ou sexo, é preciso verificar e receber orientação para a própria segurança e saúde.

O fato é, que muitas vezes a doença cardiovascular já existe, antes mesmo dos sintomas, portanto é inteligente ter todos os cuidados, seu coração agradece. Isto é, qualquer doença, que é descoberta precocemente tem muito mais chances de ser tratada e controlada, assim como as doenças do coração, além disso a prevenção é eficiente também, evitando novos casos.

E aí, gostou do texto? Então acesse mais nosso blog e descubra muitos outros artigos super interessantes. Aproveite para seguir as nossas páginas nas redes sociais e acompanhar mais informações e dicas: Instagram Facebook.

E lembre-se, conte sempre com o Laboratório Exame para realizar os seus exames com eficácia e qualidade. Caso queira agendar o seu, ligue para o telefone (18) 3622-0011 ou através do WhatsApp (18) 98119-3963.

 



Exame de sangue – como é feito e para que serve o Hemograma

Bastante solicitado para diversos fins, o Hemograma também conhecido como exame de sangue é extremamente importante para identificação de diversas condições anormais presentes em nosso organismo. Neste artigo explicaremos como é feito e para que serve o Hemograma, o famoso exame de sangue.

 

O que é o Hemograma?

O Hemograma conhecido popularmente como exame de sangue é um exame laboratorial, que avalia informações específicas sobre as principais células, que compõem o sangue:

·      As hemácias (glóbulos vermelhos responsáveis pelo transporte de oxigênio e nutrientes por todo o corpo);

·      Os leucócitos (glóbulos brancos atuantes no sistema imune);

·      As plaquetas (responsáveis pela coagulação).

É utilizado para confirmar ou questionar diagnósticos médicos, além de monitorar tratamentos específicos e verificar se existe alguma alteração que revele um problema de saúde no organismo do paciente.

 

Como é feito o Hemograma?

O Hemograma é realizado através da coleta de sangue feita por punção venosa. Depois o material colhido é levado ao laboratório para que profissionais analisem.

O exame é feito da seguinte forma:

1.     O profissional higieniza a área da coleta com álcool e algodão;

2.     É colocado um elástico (garrote) acima da área da coleta, para que a veia seja encontrada com facilidade;

3.     É realizada a punção venosa, ou seja, uma agulha fina é introduzida na veia;

4.     O sangue é coletado em um tubo de ensaio;

5.     A amostra de sangue é enviada ao laboratório para análise.

 

Como se preparar para o Hemograma?

Para realizar o Hemograma é necessário tomar alguns cuidados, são eles:

·      Não ingerir bebidas alcoólicas 72 horas antes do exame;

·      Evitar exercícios físicos 24 horas antes do exame;

·      Não fumar 3 horas antes do exame;

·      Mantenha uma dieta leve 24 horas antes do exame.

 

Determinados medicamentos podem interferir no resultado do exame, por isso fale com o laboratório no agendamento da coleta, para que eles o instruam sobre a ingestão de medicamentos. Esses preparos são realizados a fim de evitar a desidratação do paciente e outros problemas.

 

Qual é o tempo de duração do Hemograma?

O Hemograma tem curta duração, leva aproximadamente de 5 a 10 minutos para ser realizado.

 

Qual é a periodicidade indicada para a realização do Hemograma?

Geralmente o Hemograma é realizado anualmente por pessoas de todas as faixas etárias e em casos de emergências. Porém consulte o seu médico, ele será o único profissional adequado para indicar uma periodicidade para seus exames. Cada pessoa possui um organismo e rotina de saúde diferente.

 

Para que serve o Hemograma? Quais doenças o Hemograma pode detectar?

Um Hemograma é um exame extremamente eficiente, que pode ser utilizado para detectar diversas doenças e condições diferentes, as principais são:

·      Alergias;

·      Alterações nas plaquetas – seu aumento (plaquetose) ou diminuição (plaquetopenia);

·      Anemia;

·      Câncer, principalmente a leucemia e linfoma;

·      Causas de fraqueza, fadiga, perda de peso e febre;

·      Distúrbios da medula óssea;

·      Hemorragias;

·      Infecções virais, bacterianas e fúngicas;

·      Inflamações;

·      Policitemia.

Além disso o Hemograma pode ser realizado para o acompanhamento de doenças crônicas, como insuficiência renal, artrite reumatoide, doenças pulmonares e outras.

 

Como são apresentados os resultados?

O resultado de um exame de sangue deve ser apresentado por um médico especialista de sua confiança ou que solicitou o Hemograma. Ele é o único que pode analisar os resultados de acordo com seus sintomas e características pessoais, chegando assim a um diagnóstico eficiente.

Não tente entender os resultados sozinho em casa, procure um especialista para que tudo seja devidamente estudado, diagnóstico e você obtenha respostas assertivas.

 

Onde fazer Hemograma em Araçatuba?

Para realizar o exame de sangue com segurança, eficácia e qualidade em Araçatuba, conte com o Laboratório Exame. Basta agendar o melhor dia e horário para você através do nosso WhatsApp: (18) 98119-3963 ou Telefone: (18) 3622-0011.

Estamos localizados na Rua Floriano Peixoto, 817 - Araçatuba/SP.

Lembre-se, manter a saúde é essencial para uma boa qualidade de vida, por isso realize periodicamente suas consultas médicas e exames.

 

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nosso blog e confira mais dicas e informações relacionadas à saúde e qualidade de vida. Aproveite e acompanhe nossas redes sociais para mais dicas: Instagram e Facebook.

 



Teste de Antígeno para Covid-19

TESTE DE ANTÍGENO PARA COVID-19

teste de antígeno para Covid-19 é realizado para identificar a infecção atual de coronavírus em indivíduos, quando uma pessoa apresenta sinais ou sintomas consistentes de COVID-19 e também em pacientes assintomáticos que tiveram contato com pessoas com caso positivo.

PARA QUE SERVE O TESTE DE ANTÍGENO?

O teste de antígeno é rápido e indolor, capaz de detectar a proteína do nucleocapsídeo viral do SARS-CoV-2, que, se o resultado for positivo, significa infecção viral ativa. Existem outros tipos de testes para COVID-19, mas o teste de antígeno é o mais rápido em relação aos demais.

 

TESTE DE ANTÍGENO E RT-PCR: QUAL A DIFERENÇA?

Existem certas diferenças entre os testes de COVID-19. Em comparação com o RT-PCR, o teste de antígeno possui menor tempo de resultado, dentro de 1 a 2 horas após a aplicação do teste, além de possuir um menor custo em comparação aos demais.

Além disso, o teste de antígeno possui sensibilidade inferior ao teste de RT-PCR, especialmente em pessoas assintomáticas com cargas virais baixas. No entanto, em pacientes com carga viral elevada, o que costuma ocorrer na fase pré-sintomática, de 1 a 3 dias antes dos sintomas, e na fase sintomática inicial, até do 5º ao 7º dia da doença, a sensibilidade é superior a 90% quando comparada ao teste de RT-PCR.

 

QUEM DEVE REALIZAR O TESTE DE ANTÍGENO?

O teste de antígeno é indicado para pessoas com sintomas e suspeita da doença, preferencialmente antes do sétimo dia de sintomas. É muito importante destacar que se a suspeita clínica for alta, ou seja, paciente com sintomas típicos da doença há menos de 7 dias, um teste negativo não é capaz de excluir o diagnóstico e é indicada a complementação com RT-PCR.

Além disso, o teste também pode ser realizado em pessoas sem sintomas (assintomáticas), mas que tiveram contato com pacientes infectados com COVID-19. Em casos como esse, o teste de antígeno pode resultar em um diagnóstico falso-negativo, sendo recomendada a repetição do teste após 72 horas.

 

EXISTE COBERTURA DO PLANO DE SAÚDE PARA TESTE DE ANTÍGENO?

Não, por enquanto o teste de antígeno está disponível apenas nos serviços privados.

 

COMO É REALIZADO O EXAME?

A técnica utilizada para realizar o teste é com amostras de swab (cotonete), o qual será introduzido no nariz até a região conhecida como nasofaringe. O procedimento é indolor, mas é possível existir certo desconforto.

EM QUANTO TEMPO RECEBO OS RESULTADOS DO TESTE?

Os dispositivos atualmente autorizados são capazes de serem lidos a partir de 15 minutos após a coleta do exame. O resultado tem o prazo de 1 a 2 horas para ser revelado.

O QUE ESPERAR DOS RESULTADOS DO TESTE?

Os testes de antígeno são imunoensaios que detectam a presença de um antígeno viral específico. Há dois resultados possíveis, o positivo, que significa infecção viral ativa e o negativo, onde não é detectada a presença do vírus do organismo.

NOME DO EXAME NO DELBONI AURIEMO

Pesquisa de antígeno para SARS-Cov-2.

ONDE FAZER O TESTE DE ANTÍGENO PARA CORONAVÍRUS?

Para realizar o teste de antígeno com segurança e confiabilidade no Laboratório Exame, basta escolher o melhor dia e horário através do nosso telefone.

Rua Floriano Peixoto, 817 - Araçatuba/SP

Tel.: (18) 3622-0011

Whats (18) 98119-3963